250 americanos ficaram no Afeganistão, porém número pode ser bem maior

blank
Imagem ilustrativa via redes sociais.

De acordo com um alto funcionário do Departamento de Estado, pelo menos 250 americanos permanecem no Afeganistão.

“250 americanos ainda estão no Afeganistão, e aparentemente foram incapazes de embarcar nos últimos voos, sem mencionar os 10.000 afegãos qualificados para imigração e suas famílias, deixados para trás por um destino profundamente incerto.”

Na segunda-feira, o major-general William Taylor anunciou que mais de 122.000 pessoas foram evacuadas do Afeganistão.

“Até hoje, mais de 122.000, incluindo 5.400 americanos, foram evacuados do Afeganistão”, disse o major-general William Taylor.

Um alto funcionário do Departamento de Estado disse à Fox News na segunda-feira que ainda há um “pequeno número” de americanos no Afeganistão. Esse funcionário calculou o número de americanos em “abaixo de 250”, acrescentando que alguns americanos adicionais deixaram o Afeganistão nas últimas horas.

O secretário de Estado, Antony Blinken, deve detalhar a abordagem dos EUA para evacuar os americanos remanescentes, disse uma autoridade, acrescentando que “a primeira prioridade do governo são os cidadãos americanos que podem mudar de ideia e decidir que desejam sair”.

A Casa Branca disse segunda-feira que desde 14 de agosto, quando a missão começou, os EUA evacuaram e facilitaram a evacuação de aproximadamente 116.700 pessoas. E desde o final de julho, a Casa Branca disse que os EUA realocaram quase 122.300 pessoas do Afeganistão.

“Como ficará depois de partirmos, gostaria apenas de apontar o que o secretário de Estado disse”, disse o porta-voz do Pentágono, John Kirby, na segunda-feira, referindo-se à declaração do Departamento de Estado assinada por quase 100 países, além da Otan e da Europa Union disse na semana passada ter recebido “garantias” do Taleban de que as pessoas com documentos de viagem ainda poderão deixar o país.

O Taleban disse que permitirá a viagem normal depois que a retirada dos EUA for concluída na terça-feira e eles assumirem o controle do aeroporto.

“Esta não é uma função militar dos EUA, e não é uma responsabilidade militar dos EUA, uma vez que tenhamos concluído o retrógrado”, disse Kirby.

Enquanto isso, a Casa Branca, na segunda-feira, disse que o presidente Biden “mantém sua decisão de trazer nossos homens e mulheres do Afeganistão para casa”.

 

blank
Fonte: https://www.forbes.com/sites/graisondangor/2021/08/25/blinken-says-us-is-down-to-last-1500-americans-in-afghanistan/?sh=752427071377

 

blank
A cada nova reportagem ou análise de relatos de redes sociais, os números flutuam. Porém o certo é que a quantidade de cidadãos americanos e europeus ainda no Afeganistão é grande e poderiam ter sido evacuados se houvessem esforços prévios para tal. Fonte : https://www.nbcnews.com/politics/white-house/roughly-350-americans-who-want-leave-are-still-afghanistan-state-n1277855

Apesar dessa informação considerar como “oficial” o número de 250 cidadãos americanos ainda em solo afegão, existem informações de diversas outras entidades que reportam milhares de outros cidadãos retidos em outras cidades distantes de Kabul.

Esses americanos estariam conseguindo “salvos condutos” e/ou “habeas corpus” (garantias de passagem e não detenção) depois de pagamentos de até 100 mil dólares, euros ou bitcoins, depositados em contas de representantes do Talebã no exterior.

Outra informação extra-oficial é que muitos americanos estão conseguindo sair por via terrestre para o Paquistão, e, outros conseguiram embarcar em voos fretados que chegaram no aeroporto de Kabul de forma totalmente independente das iniciativas govenamentais americanas ou de outros países envolvidos na retirada militar.

Outra informação sobre esses cidadãos americanos ou europeus que permaneceram no Afeganistão são que eles seriam ligados à ONG’s que estão envolvidas com projetos internacionais para efetuar esforços de melhoria da imagem do movimento Talebã, já conhecido como “Talebã 2.0”, isto é, um Talebã mais liberal e respeitador de direitos humanos (algo que não está sendo obeservado na prática)…

Nos novos “modus operandis” do Talebã 2.0, cidadão americano ou europeu “morto” não gera ganhos financeiros para o movimento…

  • Com informações do U.S. DoD, CBS News, AFP, American Military News e textos parcialmente adaptado da matéria de Brooke Singman para a Fox News, via redação Orbis Defense Europe/ Genebra.