Libertação de presos pelo Afeganistão é suspensa e ação pode ameaçar acordo entre Talibã e EUA

O governo do Afeganistão adiou neste sábado (14) a libertação de 1.500 prisioneiros talibãs, revelou uma autoridade de Cabul. A decisão pode colocar em xeque o acordo de paz assinado, mês passado, entre o Talibã e os Estados Unidos.

O porta-voz do Conselheiro de Segurança Nacional do Afeganistão, Jawed Faisal, disse que as liberações estão sendo adiadas porque é necessário mais tempo para revisar a lista de prisioneiros.

A medida ocorre apesar do decreto presidencial assinando no início desta semana, que prometia a libertação de prisoneiros neste sábado, como uma medida de boa vontade para fomentar as negociações intra-afegãs.

O acordo entre os EUA e o Talibã foi apresentado como a melhor chance de acabar com os intermináveis confrontos no Afeganistão e trazer as tropas dos EUA para casa depois de quase 19 anos, segundo a agência Associated Press.

Não houve resposta imediata do Talibã sobre a mudança de planos das autoridades locais.  Faisal disse que o governo de Ghani quer mais tempo para revisar a lista de prisioneiros.

O acordo exige a liberação de até 5.000 talibãs e 1.000 prisioneiros afegãos antes das negociações intra-afegãs, considerado um próximo passo crítico para alcançar uma paz duradoura no Afeganistão.

  • Com agências internacionais

You may also like