40 anos do Centro de Comunicação Social do Exército Brasileiro (CCOMSEx)

blank

O Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEX) é uma organização militar sediada em Brasília. É de competência do CCOMSEX planejar, desenvolver e coordenar as atividades do Sistema de Comunicação Social do Exército (SISCOMSEX). É, também, o principal órgão de assessoramento do Comandante do Exército em assuntos dessa área. Colabora ainda na preservação e divulgação da imagem do Exército junto à sociedade, na medida em que preza por divulgar informações corretas, verdadeiras e oportunas.

Oriundo da 6ª Divisão (Relações Públicas), criada no então Gabinete do Ministro da Guerra em 1951. Pelos anos seguintes, o órgão foi sendo aperfeiçoado para melhor cumprir sua finalidade. Evoluiu para Serviço em 1962, Comissão Diretora em 1964, Centro em 1971 e Assessoria em 1975. A 24 de março de 1981, a assessoria transformou-se no Centro de Comunicação Social do Exército.

Quarenta Anos em Quatro Minutos

Batizado em 1981 com a denominação que hoje o identifica, o Centro de Comunicação Social do Exército teve sua gênese trinta anos antes. Em 1951, o Decreto n° 29.812, de 26 de julho, aprovava o Regulamento para o Gabinete do Ministro da Guerra, que, em seu artigo 4°, letra F, criava a 6ª Divisão de Relações Públicas, listando algumas de suas atribuições: “Auscultar, analisar e interpretar as tendências da opinião pública, por todos os meios disponíveis, no que se refere aos seus reflexos sobre o Exército; e remover todas as causas que possam afetar as relações do Exército com o público”. A implementação dessa primeira estrutura de comunicação social no Exército seguiu uma tendência mundial, que no Brasil havia-se refletido, por sua vez, também em 1951, na criação do primeiro departamento de relações públicas genuinamente nacional, orgânico da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Importante salientar que, à época, e até a sua reorganização, no início dos anos 1980, o que conhecemos hoje por comunicação social possuía a abrangente denominação de relações públicas.

Em 1956, a 6ª Divisão teve seus encargos absorvidos pela 1ª Divisão de Relações Públicas. Em 11 de outubro daquele mesmo ano, circulou, de modo experimental, a primeira edição do Noticiário do Exército (NE), o informativo que impulsionou de modo decisivo a comunicação interna da Força. Em 18 de junho de 1957, foi impressa, agora de modo definitivo, a Edição de Nr 1 do NE.

Em 1960, após a inauguração da nova capital federal, foi instituído em Brasília o Escalão Avançado do Gabinete do Ministro do Exército e, com ele, constituída uma Seção de Informações Públicas. Sua missão era “marcar audiências ministeriais e transmitir informações à população sobre assuntos da Força”. O volume crescente de atividades dos altos escalões na capital federal resultou na transformação da Seção em uma Divisão de Relações Públicas. No Rio de Janeiro — onde o Alto Comando do Exército ainda permaneceria reunindo-se até 1972 —, a 1ª Divisão de Relações Públicas passou a denominar-se, em 1962, Serviço de Relações Públicas do Exército.

Em junho de 1964, o Serviço de Relações Públicas teve sua denominação modificada para Comissão Diretora de Relações Públicas, sendo estabelecida a estrutura organizacional precursora da atual: Chefia; Setor de Pesquisa e Controle; Setor de Planejamento; Setor de Criação; Setor de Produção; e Setor de Difusão. Juntamente com a criação da nova Comissão Diretora, o Ministro da Guerra lançaria as bases para tornar a comunicação social um sistema de assessoramento direto e imediato ao maior nível decisório de cada escalão, ao determinar:

Em cada organização militar deve existir um órgão de Relações Públicas para assessorar diretamente o comando, a chefia ou a direção em assuntos de Relações Públicas e Opinião Pública. Tal órgão […] se situará no Estado-Maior Especial, paralelamente à Chefia do Estado-Maior, ao Gabinete, ou Subcomando, Subchefia, ou Subdireção, sempre ligado de modo direto ao Comando, Chefia ou Direção.

Em 1969, em face da diversidade e do aumento expressivo das demandas, a Comissão Diretora de Relações Públicas foi transformada em Centro de Relações Públicas do Exército.

Em 1975, mais precisamente no dia 26 de agosto, com a entrada em vigor do Regimento Interno do Gabinete do Ministro do Exército, o Centro de Relações Públicas passou a denominar-se Assessoria de Relações Públicas (Assessoria 4). Em 1976, a Assessoria 4 recebeu em seus quadros uma servidora civil, técnica em comunicação social.

O início da consolidação do Sistema de Comunicação Social do Exército, em 1978, trouxe consigo a necessidade de fortalecer o seu órgão central, o qual recebeu a denominação atual em 1981. Desde então, modificações em sua estrutura têm ocorrido, com o intuito de manter o CCOMSEx sempre organizado de modo compatível com a própria evolução do Exército.

A História do Exército Brasileiro confunde-se com a da própria Nação à qual ele serve. A trajetória da construção da nacionalidade brasileira está inextricavelmente ligada ao papel aglutinador desempenhado pela instituição desde o seu nascimento, em 1648, nos Montes Guararapes, por ocasião das invasões holandesas ao nosso território. De variadas formas, em distintos momentos, os passos dessa caminhada foram sendo registrados ao longo do tempo, e hoje representam ricas fontes para historiadores e para diferentes gerações de pesquisadores. A ideia de narrar, pelas vozes dos seus principais gestores, a evolução da comunicação social do Exército, vai ao encontro desse mesmo objetivo historiográfico.

CARLOS FREDERICO GOMES CINELLI – Coronel

Subchefe do CCOMSEx
Coordenador do Projeto CCOMSEx 40 anos