6 de junho de 1944: O mais longo dos dias

A invasão a Normandia durante a Segunda Guerra Mundial, consistiu de operações de desembarque realizado pelos aliados no dia 6 de Junho de 1944, a qual ficou conhecida como: Operação Overlord, sendo ela a maior invasão feita via mar da história.

A operação deu início à libertação dos territórios ocupados da Europa, pelas forças da Alemanha Nazista, e implantou os alicerces da vitória dos Aliados na Frente Ocidental.

O planejamento para a operação começou em 1943. Nos meses que antecederam a invasão, os Aliados colocaram em prática um engodo de grandes dimensões com o nome de código Operação Guarda-Costas, para iludir os alemães em relação à data e local do principal desembarque Aliado.

As condições atmosféricas do Dia D estavam longe do ideal e a operação teve de ser adiada 24 horas; um novo adiamento teria significado um atraso de pelo menos duas semanas pois os responsáveis pela elaboração do plano da invasão tinham definido requisitos para as fases da lua, as marés e a hora do dia, o que significava que apenas alguns dias de cada mês eram considerados adequados. A palavra final foi dada pelo oficial meteorologista James Stagg.

O marechal-de-campo Erwin Rommel, a Raposa do Deserto (apelido que ganhou por conta de suas ações e táticas durante o Africa Korps) estava no comando do Exército Alemão na região da Normandia e no desenvolvimento de fortificações ao longo da Muralha do Atlântico para antecipar uma invasão dos Aliados.

Os desembarques anfíbios foram precedidos por um extenso e intensivo bombardeio aéreo e naval, o qual foi precedido de um assalto aéreo (lançamento de 24 000 paraquedistas americanos, britânicos e canadenses) pouco depois da meia-noite do dia 5.

A infantaria Aliada e as divisões blindados começaram o desembarque na costa da França às 06h30 do dia 6. O local do desembarque era uma faixa de 80 km de praia, na costa da Normandia que tinham sido divididos em cinco sectores: Utah, Omaha, Gold, Juno e Sword.

O vento forte durante a operação, desviou as embarcações de desembarque mais para leste da sua posição planeada, especialmente em Utah e Omaha.

Muitos homens desembarcaram sob fogo pesado de armas posicionadas para as praias, e a costa estava minada e coberta com obstáculos, tais como estacas de madeira, de metal, tripés, e arame farpado, tornando o trabalho de limpeza das praias difícil e perigoso.

As baixas foram mais pesadas em Omaha, com suas altas falésias. Em Gold, Juno e Sword, várias cidades fortificadas foram libertadas com combates casa-a-casa, e duas armas de grande dimensão posicionadas em Gold foram desativadas, utilizando tanques especializados.

Os Aliados não conseguiram alcançar qualquer um dos seus objetivos no primeiro dia. Carentan, St. Lô, e Bayeux permaneceram em mãos alemãs, e Caen, um objetivo importante, só foi capturado no dia 21 de Julho.

Apenas duas das praias (Juno e Gold) foram ligadas no primeiro dia, e todos as cinco cabeças-de-praia só foram unidas no dia 12 de Junho; no entanto, a operação ganhou uma posição que os Aliados expandiram gradualmente nos meses seguintes.

As vítimas alemãs no Dia D estimaram-se entre 4 000 e 9 000 homens. No lado Aliado, as vítimas ascenderam a 10 000, com 4 414 mortos confirmados.

Este slideshow necessita de JavaScript.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below