A histórica fuga do piloto soviético da URSS com um MiG-29 em plena Guerra Fria

blank

Aleksandr Zúiev, formou-se na Escola de Pilotos de Aviação Militar de Armavir em 1982, era um dos pilotos soviéticos mais promissores da turma. Depois de se tornar especialista em caças multifuncionais MiG-23M, foi um dos primeiros no país a pilotar o novo MiG-29.

No entanto, suas realizações profissionais foram acompanhadas de profunda confusão pessoal: conflitos com a mulher, com a filha de um alto oficial da Força Aérea e problemas com a bebida.

Anos depois, o próprio piloto escreveu em suas memórias que o principal motivo da sua fuga da extinta União da República Socialista Soviética (URSS) foi sua decepção com o sistema político, e não problemas pessoais.

Colegas de turma lembravam que Zúiev sempre se interessou pela vida no Ocidente e falava sobre o mundo “capitalista’ sem parar. Ele chegou até a sugerir a um de seus colegas roubar dois aviões e fugir juntos, o que foi recebido como uma piada.

Mas em 20 de maio de 1989, Zúiev, aos 27 anos de idade, que trabalhava com mecânico, na recepção e produção de aeronaves na Base Aérea de Senaki, na Geórgia, informou a colegas sobre o nascimento de seu filho – o que não era verdade, pois sua esposa sequer estava grávida.

Ele chegou ao trabalho com um bolo caseiro para comemora e ofereceu aos colegas, mas ele estava cheio de soníferos. Quando quase todos adormeceram, o piloto começou a colocar em prática seu plano.

Primeiro, ele cortou o alarme e os cabos de comunicação. Um guarda tentou detê-lo, iniciou um tiroteio, Zúiev o feriu, mas também foi ferido no braço e na cabeça. Apesar dos ferimentos, ele conseguiu decolar um MiG-29 e tentou, sem sucesso, destruir outros aviões na base aérea, seguindo para a Turquia.

Após o desembarque, no aeroporto de Trabzon, ele se identificou como cidadão dos Estados Unidos e solicitou um encontro com os funcionários da embaixada dos EUA. Mas os norte-americanos não tiveram tempo de aproveitar a situação e estudar o novo caça soviético: os turcos não queriam quebrar as relações com a URSS e imediatamente enviaram o avião de volta à base militar soviética.

Na Turquia, Zúiev foi julgado, absolvido e recebeu asilo político nos Estados Unidos. Lá, o piloto escreveu memórias sobre sua fuga e tornou-se conselheiro militar, testando as tecnologias militares soviéticas.

Aos 39 anos, durante um voo de teste, Zúiev colidiu com um avião de treinamento soviético Yak-52 perto de Seattle. Há suspeitas de que sua morte não tenha sido acidental.

  • Com informações do site Gazeta Russa