A região de Amazônia enriqueceu por causa do turismo.

Na conjuntura atual, delimitado pelo fator da globalização econômica, política, social e cultural atingindo a soberania do Estado Nacional, se tem a participação dos governos subnacionais com maior relevância no mundo da política internacional. A transmissão de discernimento entre os governos subnacionais. No território brasileiro, por sua vez se sentem impelidos a enfrentar o desafio de sua própria sobrevivência nos planos econômico, social e cultural, desempenhando, então, novas posturas e papéis (MARIANO; BARRETO, 2004).

O Fórum Global dos Governadores para o Clima e Floresta (CGF, na sigla em inglês), devido a fatores de interesses internacionais, têm investimentos em setores estratégicos de defesa para a soberania Nacional, por meio da união dos estados e governo federal, acionasse a Lei de Garantia e da Ordem (GLO) ou força-tarefa. Visando a proteção de nossos recursos naturais com financiamento de programas de manutenção e conservação de ecossistemas e apoio internacional.

Com o investimento na fauna e flora e apoio de alguns países no qual aquinhoam incertezas de interesse coletivo. O governo do Brasil busca o Projeto Arco Norte, uma rodovia perimetral que interligará algumas capitais, Boa Vista Macapá etc.. Com a construção terá novos mercados para produtos agrícolas e manufaturados. Tendo incremento do turismo para a toda a Amazônia brasileira, com o ecoturismo amazônico e cultura indígena, entre várias outras.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BOGÉA FILHO, A. A. M. A diplomacia federativa. Tese – Instituto Rio Branco, Brasília, 2001.

Ferreira R. C. Oliveira. Integração Regional Em Governos Subnacionais Amazônicos: Notas Para Uma Política Pública De Cooperação Descentralizada, 2017.

Filho. F. G. Tese – A Paradiplomacia No Contexto Da Amazônia Brasileira: Estratégias De Desenvolvimento Regional Do Estado De Roraima, 2008.

You may also like