A400M da RAF em patrulha para rastrear barcos de migrantes ilegais vindos da França

A400M da RAF sobrevoando alguma região em alto mar. Imagem ilustrativa via Airbus Industries.

Uma aeronave de transporte Airbus A400M da Real Força Aérea, também conhecida como Atlas C1, està empenhada para ajudar a Força de Fronteira do Reino Unido a lidar com uma onda recente de migrantes ilegais a bordo de pequenas embarcações que cruzam o Canal da Mancha em direção às costas britânicas da França . A aeronave foi spoteada voando baixo sobre o mar esta manhã e imagens de um software de rastreamento de vôo disponível comercialmente a mostraram voando em um padrão complexo de patrulha sobre o Canal da Mancha entre Dover e Calais, na França.

O Ministério da Defesa (MOD) do Reino Unido disse que o uso da grande aeronave de transporte foi sancionado pelo Secretário de Defesa Ben Wallace para ajudar a auxiliar o Home Office do Reino Unido. O A400M voou uma missão de aproximadamente oito horas de sua base na RAF Brize Norton, em Oxfordshire, ontem 10 de agosto de 2020, enquanto mais pequenos navios tentavam cruzar o Canal da Mancha em direção à costa de Kent. A aeronave foi acompanhada por outra aeronave civil não especificada apoiando a Real Guarda Costeira, que também forneceu vigilância para auxiliar a Força de Fronteira do Reino Unido.

O Airbus foi descrito em um tweet do MOD como uma “aeronave de vigilância”, mas enquanto algumas de suas tripulações são treinadas em busca de superfície marítima e enquanto o radar da aeronave apresenta um modo de mapeamento terrestre, o A400M foi projetado principalmente como aeronave de transporte.

Ainda assim, embora o A400M possa não ser uma aeronave de patrulha marítima construída para esse fim, ele possui alguns equipamentos de missão aplicáveis. O tipo assumiu o papel de transporte implantado nas Ilhas Falkland do Reino Unido do C-130J Hercules em 2018. Isso resultou no grande Airbus ganhando a capacidade de conduzir operações de resgate aéreo-marítimo. Esta capacidade envolve o A400M implantando o Air-Sea Rescue Apparatus (ASRA) de sua rampa de carga traseira. Isso é projetado para permitir que a aeronave ajude tripulações abatidas ou marinheiros com problemas no mar e envolve o lançamento de uma grande balsa salva-vidas modelo Beaufort Mk 20.

O vídeo abaixo mostra as atividades de liberação de voo para esse recurso:

Embora o A400M pareça um ajuste improvável para esta missão, existem alguns argumentos sensatos para seu uso neste caso. A capacidade da aeronave de lançar balsas salva-vidas no caso de pequenas embarcações de imigrantes frequentemente sobrecarregadas entrarem em problemas é claramente uma consideração importante. Isso, juntamente com a capacidade da tripulação de usar a aeronave como plataforma para realizar uma vigilância relativamente rudimentar, simplesmente olhando pelas janelas.

A questão dos barcos que cruzam o Canal da Mancha tem recebido atenção pública recentemente. “O número de travessias ilegais de pequenos barcos é assustador e inaceitavelmente alto”, disse a secretária do Interior, Priti Patel, recentemente no Twitter : “Os números são vergonhosos”.

“Por toda a Europa, a imigração ilegal de homens jovens de regiões da Africa e Oriente Médio deixou de ser um problema social e humanitàrio para se tornar um problema de segurança pùblica e até mesmo segurança nacional devido aos elevados ìndices de crimes violentos de todos os tipos e ao terrorismo de baixa intensidade que se tornou o “modus operandis” dos grupos jihadistas”.

A despeito do que é noticiado pelas grandes mìdias, a grande maioria dos migrantes ilegais de origem afroislâmicas é de homens jovens e em idade de no màximo 30 anos, com muitos se declarando como menores de idade, e, mulheres e crianças não chegam a 3% do total!

Esta linha mais dura sobre o tráfico ilegal de pessoas através do Canal da Mancha foi recentemente enfatizada pela nomeação de um “Comandante da Ameaça do Canal Clandestino” – uma nova função que lidera a resposta do Reino Unido para combater as tentativas ilegais de chegar ao país. “Ele irá colaborar estreitamente com os franceses para desenvolver o trabalho conjunto já em andamento, explorando urgentemente ações mais duras na França, incluindo medidas de fiscalização mais fortes e adoção de interceptações no mar e retorno direto de barcos”, disse um comunicado à mídia do Home Office do Reino Unido .

O A400M é menos adequado para vigilância costeira de curto alcance que teoricamente poderia ser realizada por uma plataforma mais especializada por uma fração do custo. Não está claro por que o A400M foi escolhido para esta última operação, mas a capacidade disponível de outras agências é um fator provável.

Como a Força de Fronteira do Reino Unido, a Marinha Real está sobrecarregada e não tem recursos sobressalentes para conter essa migração irregular, embora o governo do Reino Unido tenha solicitado seu apoio para a situação atual. A necessidade de empregar em um A400M também aponta para uma deficiência de recursos aéreos adequados.

Vigilância Aérea efetuada por empresas civis especializadas

Em 2016, o governo do Reino Unido rescindiu um contrato de vigilância aérea com a Cobham que foi projetado para ajudar a apoiar os esforços de combate às travessias ilegais de barcos do continente. Em fevereiro deste ano, a Maritime and Coastguard Agency (MCA) concedeu à Elbit um contrato para realizar voos de demonstração marítima no Reino Unido usando veículos aéreos não tripulados Hermes 900. Isso é parte de um esforço para estabelecer busca e resgate marítimo 24 horas por dia em todo o Reino Unido

A área do Canal que vê a maior parte dessa atividade tem sido patrulhada regularmente por um pequeno veículo aéreo não tripulado Tekever AR5 que opera no Aeroporto Lydd em Kent e monitora uma área de perigo temporário. A empresa 2Excel também começou recentemente a oferecer suporte ao MCA com Kings Airs bimotores especialmente configurados e um Piper Navajo. Esses tipos de aeronaves de patrulha de pequeno porte, equipadas com sensores adequados, incluindo radares de vigilância marítima compactos e sensores eletro-ópticos / infravermelhos, são soluções comuns para esse tipo de missão em águas costeiras.

A nova aeronave de patrulha marítima Boeing P-8A Poseidon da RAF está entrando em serviço e também pode parecer um recurso mais óbvio para vigiar as vias navegáveis ​​entre o Reino Unido e o continente europeu. Mas com apenas duas aeronaves entregues, eles já estão profundamente engajados em missões mais urgentes, como rastrear navios de guerra estrangeiros e patrulhas anti-submarinas.

A resposta militar de um A400M também é provavelmente necessária para ajudar a preencher as lacunas na cobertura disponível nesta época do ano agitada. Os recursos da Guarda Costeira do Reino Unido são normalmente aumentados durante o pico da temporada de férias de verão .

Ao todo, a necessidade do MOD de desviar um ativo de transporte em demanda, como um A400M para cobrir uma função de patrulha marítima, pode ser vista como um sinal de falta de recursos oferecidos à Força de Fronteira do Reino Unido. Também pode ser um meio útil para mostrar uma linha dura contra as atividades ilegais que ocorrem na costa sul do Reino Unido.

Com texto adaptado da matéria original de Jamie Hunter para o The Drive War Zone via redação Orbis Defense Europe.

Link para a matéria original:

https://www.thedrive.com/the-war-zone/35573/british-a400m-transport-gets-tasked-with-low-level-patrols-to-track-migrant-boats-from-france



Receba nossas notícias em tempo real pelos aplicativos de mensagem abaixo:

 

Caso deseje conversar com outros usuários escolha um dos aplicativos abaixo:



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail