Administração Federal de Aviação dos EUA aplica multa milionária na Boeing por negligência

REUTERS/Lindsey Wasson

A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) multou a empresa Boeing por esta, supostamente, não ter aderido ao seu próprio sistema de garantia de qualidade na instalação de componentes em 133 aeronaves.

Com isso, a FAA anunciou que a ‘negligência’ da Boeing com relação a certificação de aeronavegabilidade e instalação de equipamentos de aeronaves de baixa qualidade pode resultar em uma multa no valor de US$ 3,9 milhões (R$ 16 milhões).

As guias dos slats fabricadas pela Southwest United Industries em junho de 2018 foram enviadas à Spirit AeroSystems Inc. e depois entregues à Boeing para serem instaladas nos Boeing 737, mesmo depois das persistentes falhas em testes.

“As guias dos slats estão localizadas no bordo de ataque das asas dos Boeing 737 e são utilizadas para orientar o movimento dos painéis conhecidos como slats (dispositivo móvel de hipersustentação auxiliar, acoplados com os Flaps)”, explica o relatório da FAA.

Ainda de acordo com o relatório da FAA, a Spirit AeroSystems notificou o problema com as guias dos slats em setembro de 2018, mas mesmo assim a Boeing teria certificado as aeronaves. A FAA já havia identificado possíveis problemas em aproximadamente 148 guias de slats, exigindo a substituição das mesmas.

O pagamento de milhões de dólares em multas é apenas uma, de diversas outras questões envolvendo a Boeing, já que a empresa esteve envolvida em dois acidentes aéreos que causaram a morte de 346 pessoas.

Estima-se que a Boeing reservou mais de US$ 5 bilhões (R$ 20 bilhões) destinados a reembolsos para companhias aéreas devido à interrupção das operações do Boeing 737 Max, além de US$ 100 milhões (R$ 415 milhões) para compensações às vítimas dos acidentes.

O comunicado da FAA concluiu enfatizando que a Boeing tem 30 dias para responder à notificação da penalidade civil proposta.

  • Com agências internacionais