Ágata Pantanal VIII reforça presença do Estado Brasileiro na faixa de fronteira

blank
Ágata Pantanal VIII reforça presença do Estado na faixa de fronteira

Com intuito de inibir crimes e de intensificar a presença do Estado brasileiro na faixa de fronteira, o Ministério da Defesa (MD) realizou, por meio da Subchefia de Operações, a Operação Ágata Pantanal VIII.

Parceria com as polícias Federal, Civil, Rodoviária Federal, Militar do Mato Grosso do Sul e Militar Ambiental, Receita Federal, ABIN e Força Nacional, a ação ocorreu, entre 27 e 31 de maio, e abrangeu cerca de 1800 Km de extensão nas fronteiras dos Estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Cerca de 830 militares das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) desenvolveram ações em parceria com integrantes das agências públicas. O comando da ação foi feito pelo 6º Distrito Naval, Organização Militar localizada em Ladário (MS).

Nesta edição, foram realizadas ações como inspeções de embarcações, veículos em geral, revistas de pedestres e bicicletas, patrulhas terrestres, navais fluviais e de reconhecimento aéreo.

Durante a Ágata são estabelecidos postos de bloqueio nos canais dos rios e nas principais estradas e de vigilância de pistas de aterrissagem e portos para realização de revistas.

De acordo com a Subchefia de Operações, a Ágata, modalidade de operação conjunta e interagência, é precedida de atividades de inteligência com a finalidade de levantar dados necessários para otimização das ações da tropa empregada.

Responsável por coordenar o trabalho de oficiais em áreas como logística, e inteligência, o chefe do Estado-Maior Conjunto da Ágata Pantanal VIII, Coronel do Exército Brasileiro Everton Lauriano Pedro, ilustra como ocorreu a integração com integrantes de agências públicas.

“As atividades se deram em diversas células como inteligência, logística e operações de informação e comando e controle com a finalidade de maximizar as ações militares”, declara o militar.

De acordo com a Lei complementar Nº 97, de 1999, as Forças Armadas, quando empregadas na faixa de fronteira, possuem poder de polícia para atuar no combate a ilícitos transfronteiriços e ambientais.

A Operação Ágata Pantanal VIII envolveu ainda 57 viaturas, 16 embarcações, 2 aeronaves. Outra parceria com prefeituras locais, realizou quatro ações cívico-sociais na área de operações, com atendimentos médicos e odontológicos à população carente.

A Ágata Pantanal VIII foi a 4ª operação conjunta realizada neste ano, na faixa de fronteira brasileira.

Operação Ágata

Alinhada às políticas do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF), a Operação Ágata foi reformulada, em 2017. Ação passou a ser fracionada ao longo de todo o ano, com caráter de curta duração.

Desde 2011, a atuação das Forças Armadas foi intensificada nas fronteiras por meio de ações como a Operação Ágata.

Operações Singulares

Ao longo de todo o ano, ocorrem ainda operações individuais da Marinha, do Exército ou da Aeronáutica visando proteger a área de fronteira. Geralmente são ações pontuais, de curta duração, possibilitando maior agilidade e maior uso do fator surpresa.

Fonte: AssCom Ministério da Defesa, Por Lane Barreto, Fotos: Divulgação MD

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here