Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos EUA testa recuperação de drone em pleno voo

A primeira recuperação bem-sucedida de um drone Gremlin em voo, ocorreu no dia  29 de outubro em Dugway Proving Ground, em Utah

Pela primeira vez, a Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa (DARPA, em inglês), utilizando uma aeronave C-130, recuperou um veículo aéreo não tripulado X-61 Gremlin em pleno voo, conforme comunicado da agência nesta sexta-feira (05).

A ação perfaz um marco no esforço do Departamento de Defesa dos EUA em lançar enxames de drones a partir de uma aeronave-mãe. A agência DARPA explicou que este teste de voo (a quarta implantação do Gremlin) envolveu dois dos pequenos drones, que realizaram com sucesso todas as posições de voo de formação e recursos de segurança. 

Durante a operação de recuperação pela aeronave-mãe, um drone foi recuperado com êxito, enquanto o segundo foi destruído durante o teste, disse a DARPA. A equipe de manutenção conseguiram recondicionar o drone recuperado, fazendo ele voar novamente em 24h, disse o comunicado.

A DARPA espera que o programa (batizado em homenagem às criaturas imaginárias e travessas que os pilotos da Segunda Guerra Mundial culparam quando suas aeronaves ou equipamentos falharam) um dia permitirá que os militares lancem grupos de pequenos drones com sensores de bombardeiros, aviões de carga ou aeronaves menores como caçadores.

A DARPA prevê que as aeronaves-mãe ficarão fora do alcance das defesas inimigas, mas os enxames de drones voarão para o perigo e realizarão missões como inteligência, vigilância, reconhecimento ou guerra eletrônica.

Depois que a aeronave-mãe recolha os drones trazendo-o de volta à base, as equipes de terra terão 24h para os deixar em condições de voo novamente, disse a DARPA em um relatório de 2018.

A agência espera que cada drone tenha uma vida útil de 20 voos. Utilizar esses drones relativamente descartáveis, ​​permitirá aos militares realizar missões de maneira muito mais barata e com menos esforços de manutenção do que depender de sistemas não gastáveis ​​projetados para voar por décadas.

blank
Um drone X-61 Gremlin e um C-130 conduzem um teste de voo pela DARPA em Dugway Proving Ground em Utah em 29 de outubro de 2021. Durante o teste de voo, a DARPA disse que recuperou com sucesso um Gremlin no ar pela primeira vez. (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa)

“Esta recuperação é o resultado de anos de trabalho árduo e demonstra a viabilidade de uma recuperação aerotransportada segura e confiável”, disse o  gerente do programa Gremlin no Escritório de Tecnologia Tática da DARPA, tenente-coronel Paul Calhoun, no comunicado. “Essa capacidade provavelmente será crítica para futuras operações aéreas distribuídas”, explicou.

Tentativas anteriores de realizar recuperações aerotransportadas dos drones Gremlin foram malsucedidas. Em outubro de 2020, a DARPA deu início a uma série de testes de voo em que tentou, mas falhou, nove vezes para recuperar três drones Gremlin. 

A DARPA disse que na época essas tentativas estavam a centímetros de distância do trabalho, e que todos os drones Gremlin foram lançados de paraquedas e chegaram ao solo em segurança.

Foram conduzidos quatro voos, durante os quais horas de dados (incluindo informações sobre o desempenho do veículo aéreo, como o contato funcionou durante a recuperação aerotransportada e as interações aerodinâmicas entre o Gremlin e a bala de recuperação do C-130) foram coletados.

“A recuperação aerotransportada é complexa”, disse Calhoun no comunicado. “Levaremos algum tempo para aproveitar o sucesso dessa implantação e, em seguida, voltaremos a trabalhar analisando os dados e determinando as próximas etapas para a tecnologia Gremlins.” Os drones Gremlin são fabricados pela Dynetics, uma subsidiária da Leidos.

  • Com informações do site Defense News
  • Tradução e Adaptação: DefesaTV