Amazul se reinventa e concretiza novos negócios

A empresa conquistou boas parcerias neste ultimo ano, com resultados expressivos ao buscar novas fontes de receita

blank
Maquete do Reator Multipropósito Brasileiro, que será construído no município de Iperó (SP)

Google News

A empresa Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. (Amazul), estatal estratégica que atua na área nuclear, comemora este mês seu sétimo aniversário. A empresa conquistou boas parcerias neste ultimo ano, com resultados expressivos ao buscar novas fontes de receita com o propósito de reduzir sua dependência do Tesouro.

Desde 2019, a empresa assinou parcerias com empresas e instituições, por meio de instrumentos conhecidos como Termo de Execução Descentralizada, que já somam R$ 238 milhões e trarão receitas líquidas de R$ 46 milhões nos próximos anos.

A missão da Amazul é promover, desenvolver, absorver, transferir e manter as tecnologias necessárias ao Programa Nuclear da Marinha (PNM), Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e Programa Nuclear Brasileiro (PNB).

Além de participar do desenvolvimento do futuro submarino com propulsão nuclear, a empresa atua em empreendimentos voltados para a geração de energia elétrica e a medicina nuclear.

Na área de energia, junto com a Marinha, fabrica ultracentrífugas destinadas às Indústrias Nucleares do Brasil (INB) para o enriquecimento do urânio, que se transforma em combustível nuclear e é enviado às usinas de Angra.

Em agosto de 2019, firmou convênio com a Eletronuclear para atuar no projeto de extensão da vida útil da Usina Nuclear de Angra. Ainda para a INB, projeta a ampliação da Usina Comercial de Enriquecimento de Urânio em Resende-RJ, dentro do programa da estatal de abastecer as usinas de Angra com combustível nuclear.

blankNa área de medicina nuclear, participa da implantação de um programa de modernização no Centro de Radiofarmácia do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, em São Paulo, em parceria com a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), que garante a produção e distribuição de radiofármacos para todo o País, contribuindo com a melhoria da qualidade de vida de milhares de brasileiros.

Um dos projetos estratégicos e de grande alcance social da empresa é o desenvolvimento do Reator Multipropósito Brasileiro (RBM), junto com a CNEN, voltado para pesquisa e produção de radioisótopos que são aplicados na medicina, na agricultura, na indústria e em testes de materiais.

A principal função do RMB é tornar o Brasil autossuficiente na produção de insumos para a fabricação de radiofármacos usados no diagnóstico e no tratamento do câncer.

A Amazul vai implantar no Brasil centros de irradiação para permitir a utilização das tecnologias nucleares para esterilização nos setores de produção de alimentos, medicamentos, cosméticos, insumos para a área médica e outras indústrias.

Para isso, buscará no mercado internacional fornecedores de equipamentos e sistemas de irradiação que deverão atender às necessidades de cada setor.

  • Com informações do CCSM


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: