Ataque de terroristas islâmicos na Nigéria liberta mais de 1800 criminosos de prisão

blank

Google News

Um ataque bem sucedido de um grupo terrorista islâmico ligado ao ISIS conseguiu libertar mais de 1800 criminosos condenados de uma prisão do interior da Nigéria. Os terroristas fortemente armados atacaram a prisão da cidade de Owerri, usando explosivos, metralhadoras pesadas e granadas propelidas por foguetes, disseram as autoridades.

A polícia nigeriana disse acreditar que um grupo separatista proibido, o Povo Indígena de Biafra (IPOB), esteja por trás do ataque na cidade de Owerri, mas um porta-voz do grupo negou envolvimento. Essa ação visava não só a ibertação de terroristas presos como também a liberação de criminosos que são associados com os terroristas islâmicos.

Um porta-voz do IPOB negou o ataque e disse à Reuters que o grupo não realizou a operação na prisão.

“IPOB e ESN não estiveram envolvidos no ataque em Owerri, estado de Imo. Não é nosso objetivo atacar o pessoal de segurança ou instalações prisionais ”, disse o porta-voz do IPOB por telefone.

O presidente Muhammadu Buhari disse que o ataque, em uma cidade perto da região rica em petróleo do Delta do Níger, que é o principal exportador de petróleo bruto da África e maior economia, foi um “ato de terrorismo”.

Os terroristas invadiram a instalação no dia 05 de abril, de acordo com o Correctional Service nigeriano.

“O Centro de Custódia Owerri no estado de Imo foi atacado por elementos desconhecidos e libertou à força um total de 1.844 presos sob custódia”, disse seu porta-voz em um comunicado.

A polícia disse que os agressores usaram explosivos e lança grandasa do tipo RPG para explodir o bloco administrativo da prisão e entraram no pátio da prisão.

“As investigações preliminares revelaram que os agressores… são membros do proscrito Povo Indígena de Biafra (IPOB)”, disse Frank Mba, porta-voz da Força Policial da Nigéria.

Separadamente, em 05 de abril th , estado islâmico na província de África Ocidental (ISWAP) atacaram o pessoal do exército nigeriano leste de Diffa no N’Gagam, 5 soldados foram mortos, 6 SUVs e armas foram capturados. Além disso, uma patrulha foi explodida com um IED, resultando mais 6 soldados foram mortos e um veículo blindado de transporte de pessoal foi destruído.

Os soldados das Forças de Paz no Mali descobriram que o grupo Jamaat Nusrat Al-Islyam Wal Muslimine está por trás do ataque à guarnição militar do Chade. Os oficiais de segurança chegaram a esta conclusão após a identificação dos terroristas. Entre os liquidados estava o vice-líder do DNIM, Iyad Ag Gali, chamado Abdalay Ag Albaka. Ele foi responsável por uma série de ataques terroristas contra militares do Mali e da França, bem como militares do contingente de manutenção de paz da MINUSMA.

No total, durante o ataque terrorista, as Forças Armadas do Chade liquidaram quarenta islâmicos. De acordo com alguns relatos, graças às informações da inteligência, as forças de paz do Chade souberam do ataque e se prepararam com antecedência para ele.

  • Com informações do Governo da Nigéria, STF Analysis & Intelligence e Reuters via redação Orbis Defense Europe.


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: