Ataques entre Israel e Hezbollah continuam na fronteira com o Líbano

blank
Mosaico de imagens dos acontecimentos recentes na Fronteira Israel/Líbano. Com fotos via IDF.

Na madrugada de 6 de agosto, foguetes foram disparados do Líbano contra o território de Israel. As Forças de Defesa de Israel (IDF) estão agora respondendo com disparos de artilharia, visando os locais de lançamento localizados no sul do Líbano.

De acordo com as mídias israelenses, 20 foguetes foram lançados, 10 deles teriam sido interceptados. Alguns foguetes passaram pelo Domo de Ferro, caíndo em áreas habitadas.

O comando das IDF relatou que sirenes de defesa aérea dispararam na aldeia de Ein Kiniya nas Colinas de Golan e perto da aldeia de Snir.

Nenhum ferimento ou dano foi relatado.

Declaração oficial do Hezbollah via redes sociais:

“Às 11h15 desta sexta-feira, e em resposta aos ataques aéreos israelenses em terras abertas nas áreas de Al-Jarmaq e Al-Shawakir na noite de quinta-feira passada, os grupos do mártir Ali Kamel Mohsen e do mártir Muhammad Qasim Tahan no Islã A Resistência bombardeou terras abertas nas Fazendas Shebaa ocupadas com dezenas de foguetes de 122 mm.”

A resposta da IDF:

Mais imagens dos fatos:

O ataque com foguetes está ocorrendo em meio a uma nova escalada de tensões e ataques entre Israel e Líbano.

O território israelense foi alvejado em resposta a ataques aéreos realizados pela Força Aérea Israelense na Governadoria Sul do Líbano, coração do Hezbollah, em 5 de agosto.

Um dia antes, em 4 de agosto, outro ataque de foguete teve como alvo o território israelense. Três foguetes foram lançados do sul do Líbano, com um falhando no meio do caminho e dois pousando em território israelense. Mesmo sem atingir nenhuma infraestrutura, os foguetes são perigosos porque estão causando grandes incêndios.

Os recentes ataques aéreos israelenses foram de uma escala incomumente grande e foram realizados na quinta-feira. A liderança militar e política em Tel Aviv prevê uma resposta rápida do território libanês no dia seguinte, na sexta-feira. As ações militares não podem passar despercebidas pela comunidade muçulmana do Líbano. Os imãs certamente irão iluminá-los durante a oração da sexta-feira (صَلَاة ٱلْجُمُعَة, Ṣalāt al-Jumuʿah), o que vai inflamar ainda mais o ódio contra Israel entre a população.

Agora que Israel está lançando outro ataque ao Líbano, novos ataques aéreos devem ser esperados. A escalada está se tornando inevitável. É provável que a ‘agressão inimiga’ seja utilizada pela liderança político-militar israelense para justificar o aumento das ações militares contra o Líbano, até uma provável intervenção militar.

Enquanto isso, o Líbano está dilacerado por conflitos internos em meio a uma grave crise econômica e graças a isso a popularidade da ideologia do Hezbollah está crescendo consistentemente.

  • Com informações Israel Defenses Forces IDF, Israel 24INews, France Inter, OGN Arabic e STF Analysis & Intelligence via redação Orbis Defense Europe.