Atentado a bomba perto de um centro de testes Covid-19 na Holanda

blank
Momento do isolamento do local da explosão pelos serviços de emergência da Holanda. Imagem de captura de tela do vídeo da RT France.

Um artefato desconhecido explodiu em um prédio ao lado de um centro de testes Covid-19 em Bovenkarpsel, no norte da Holanda, às 6h55am nesse dia 3 de março, e até o momento nenhum ferimento foi relatado, restando apenas danos materiais leves ao prédio aonde ocorreu a explosão e aos prédios vizinhos, incluíndo o centro de testes de Covid.

A polícia suspeita de um ato intencional já que muitas ameaças de grupos populares foram declaradas contra as medidas de restrições que podem levar a um eventual confinamento do país, nos mesmos moldes da Alemanha e França.

A Holanda é um dos países que mais acontecem protestos contra as medidas de restrições governamentais contra a pandemia do Covid, seguida pela França, Dinamarca, Alemanha, Espanha e Itália.

Serviços anti-bombas da Polícia Nacional estão verificando o local para determinar se outros explosivos ainda podem estar instalados, inclusive no prédio do centro de testes de Covid, de acordo com a televisão estatal NOS. O explosivo pode ter sido “colocado” lá por engano, já que o alvo inicial era o centro de testes do governo, disse um porta-voz da polícia à Reuters.

Outros centros de testes por toda a Holanda foram fechados e os serviços interrompidos por tempo indeterminado para garantir a segurança até que vistorias da Polícia acontecam.

Centros de testes em países vizinhos como a Bélgica, Luxemburgo e Oeste da Alemanha também receberam ameaças anônimas de ataques.

As alegações populares para justificar essas ameaças de ataques são que os centros de testes estariam manipulando resultados, com a confeção de falsos positivos para inflacionar as estatísticas de contaminação de Covid, para assim justificar medidas do governo de restrições como; fechamento de comércios, toques de recolher e até mesmo um confinamento na Holanda no mesmo padrão da França, Reino Unido e Alemanha.

Outra situação de grande desconfiança da população por toda a Europa são os casos de corrupção, com superfaturação de insumos, vacinas e compras sem critérios feitas com a indústria chinesa em detrimento de fabricantes europeus.

Ataque “Insano” –

O ministro da Saúde holandês, Hugo de Jonge, condenou o ataque, chamando-o de “insano”.

O serviço de saúde local, GGD, disse que ficou “horrorizado” com o incidente “agressivo e intimidador”.

“Este ato covarde de destruição diz respeito a todos nós”, disse o presidente nacional do GGD, André Rouvoet, no Twitter.

De acordo com fontes do governo em declarações extra-oficiais, existe já o grande receio de um surgimento de um movimento radical de céticos da pandemia, que certamente farão uso de métodos radicais e até mesmo violêntos contra os governos e instituições envolvidas na gestão da pandemia do Covid.

Abaixo, vídeo divulgado pela RT sobre o acontecido:

Em janeiro, quando o toque de recolher entrou em vigor para lutar contra Covid-19, um centro de triagem foi incendiado no vilarejo de Urk, na província próxima de Flevoland. Durante vários dias, aconteceram protestos violêntos, sendo os mais intensos já ocorridos no país há várias décadas desde a 2a Guerra Mundial.

  • Com informações NOS TV Nederland, RT Television, AFP e France 2 via redação Orbis Defense Europe.