Áudios revelam troca de mensagens entre Irã e Reino Unido antes de captura de navio

Um navio de guerra britânico (HMS Montrose – F-236) enviou uma mensagem de rádio a uma patrulha iraniana para alertar as autoridades do país persa contra uma interferência em um petroleiro de bandeira britânica no estreito de Hormuz, segundo revelam áudios divulgados nesse domingo (21).

A autenticidade dos áudios, fornecidos pela empresa de segurança marítima Dryad Global, foi confirmada pelo Ministério da Defesa britânico. Teerã não se pronunciou. Membros da Guarda Revolucionária Iraniana apreenderam o navio Stena Impero, de propriedade de um armador sueco, no estreito na última sexta-feira (19).

Nos áudios, a guarda intima o petroleiro a mudar de rumo. Em seguida, a fragata inicia a troca de mensagens. “Por favor, confirme que você não tem a intenção de violar a lei internacional ao tentar embarcar ilegalmente”, afirma a fragata da Marinha Real britânica ao bote iraniano em áudio “Como você está em trânsito em um estreito reconhecido internacionalmente, sob a lei internacional sua passagem não deve estar prejudicada, impedida, obstruída ou dificultada”, afirma a fragata, desta vez em mensagem aos Stena.

Em resposta, o navio iraniano afirma estar adotando medidas por questões de segurança. “Este é o bote de patrulha Sepah Navy. Não há intenção de desafio. Quero inspecionar o navio por motivo de segurança.” Sepah Navy é uma unidade naval especial da Guarda Revolucionária.

Cerca de um quinto do petróleo consumido em todo o mundo passa pelo estreito de Hormuz, que fica na entrada do golfo entre o Irã e Omã. Neste domingo, o governo iraniano afirmou que a investigação que decidirá o destino do petroleiro britânico dependerá “da cooperação” da tripulação e ignorou os pedidos internacionais para que o navio fosse rapidamente liberado.

Acusado pelo Irã de “não respeitar o código marítimo internacional”, o Stena Impero está ancorado no porto de Bandar Abbas (sul). Seus 23 tripulantes (18 indianos, três russos, um filipino e um letão) “estão com boa saúde”, declarou Allah Morad Afifipoor, diretor geral da Autoridade Portuária e Marítima da província de Hormozgan.

“A investigação (…) depende da cooperação dos membros da tripulação do navio e também do nosso acesso às provas necessárias para examinar o caso”, acrescentou em entrevista à Press TV, o canal de informação em língua inglesa da TV estatal iraniana.

Segundo Afifipoor, o Stena Impero “colidiu com um barco de pesca que entrou em contato com o petroleiro, mas não obteve resposta”. As autoridades iranianas abriram uma investigação sobre as causas do acidente, “conforme a lei”.

O ministro britânico das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, anunciou que o Executivo informará o Parlamento nesta segunda-feira (22) sobre “medidas complementares” que pretende adotar após o caso. Por sua vez, o secretário de Defesa, Tobias Ellwood, afirmou que irá “analisar uma série de opções” para responder à detenção do petroleiro.

O encarregado de negócios iraniano em Londres, Hamid Baeidinejad, exortou o governo britânico “a controlar as forças políticas internas que querem uma escalada das tensões entre o Irã e o Reino Unido”. O Irã “está preparado para diferentes cenários”, afirmou.

ENTENDA O HISTÓRICO DE ATAQUES

  • 12.mai – Emirados Árabes Unidos afirmam que que quatro navios foram atacados nas proximidades de Fujairah (um dos sete emirados que formam o país);
  • 13.mai – Arábia Saudita afirma que teve dois navios sabotados no Golfo Pérsico;
  • 13.jun – Dois petroleiros, um norueguês e outro japonês, são atingidos por explosões no Golfo de Omã; EUA afirmam que minas marítimas foram usadas, divulgam suposto vídeo do ataque e responsabilizam o Irã, que nega;
  • 14.jun – Presidente da companhia dona do navio japonês contraria os EUA e afirma que embarcação foi atingida por objetos voadores Grupo rebelde houthi, que é apoiado pelo Irã, realiza uma série de ataques com drones a aeroporto de Abha, na Arábia Saudita (reino é aliado dos Estados Unidos);
  • 15.jun – Irã convoca embaixador do Reino Unido em Teerã após Londres acusar a república islâmica pelos ataques contra petroleiros no golfo de Omã;
  • 17.jun – Exército dos EUA divulga fotos que supostamente mostram membros da Guarda Revolucionária do Irã removendo uma mina de um petroleiro que sofreu ataque;
  • 20.jun – Irã derruba drone americano que estaria violando seu espaço aéreo às margens do golfo de Omã;
  • 23.jun – Trump desiste de ação militar contra o Irã na última hora; EUA realizam ataque ciberataque que desabilitou sistemas no lançamento de mísseis e foguetes;
  • 4.jul – A pedido dos EUA, britânicos apreendem petroleiro iraniano no estreito de Gibraltar; navio estaria violando as sanções da ONU. Irã convoca embaixador britânico em Teerã novamente;
  • 5.jul – Irã ameaça apreender petroleiro britânico em retaliação;
  • 11.jul – Reino Unido afirma que Irã tentou bloquear petroleiro britânico no estreito de Hormuz, mas que sua Marinha interveio e a passagem foi liberada;
  • 18.jul – Irã afirma que apreendeu no estreito de Hormuz, no domingo (14), um petroleiro estrangeiro com com 12 tripulantes a bordo; navio estaria contrabandeando combustível para o Golfo;
  • 18.jul – Trump afirma que EUA derrubaram drone iraniano no estreito de Hormuz por voar perto demais de uma embarcação americana;
  • 19.jul – Britânicos condenam apreensão de dois petroleiros pelo Irã, um de bandeira britânica e outro de bandeira liberiana, mas operado por empresas do Reino Unido; Teerã afirma que apenas o navio britânico foi apreendido.
  • Com agências internacioanais


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below