Avanços da Defesa brasileira são destacados na Eurasia Airshow 2020

blank

Google News

Com o objetivo de promover negócios no setor da aviação comercial e militar, ocorreu, nesta quarta-feira (2), o início da Eurasia Airshow 2020. Nesta edição, o Eurasia Airshow será virtual e ocorrerá até domingo (6). Durante a abertura, o Secretário de Produtos de Defesa (SEPROD) do Ministério da Defesa (MD), Marcos Degaut, representou o Ministro Fernando Azevedo e falou sobre a “Visão Estratégica do Modelo Brasileiro”, com destaque para os seguintes aspectos: cenário, futuro da mobilidade, inovação e realidade no Brasil.

A abertura também contou com a participação de Haitham Misto, representando o Primeiro Ministro da Jordânia, Bisher Al-Khasawneh. Ele falou sobre a necessidade de desenvolvimento de projetos em conjunto na área de inovação. O evento, em 2018, teve a participação de 168 delegações militares e civis oficiais de 73 países.

Em uma avaliação inicial, o Secretário Degaut destacou que “ à medida em que incertezas e riscos cresceram e permaneceram em níveis preocupantes, nossas conexões e interdependências passaram a ser inevitáveis”. Na ocasião, ele ressaltou que é fundamental a busca de tecnologias avançadas para dar suporte aos desafios que virão, especialmente no que se refere à segunda onda mundial da COVID-19, que ameaça a recuperação econômica em alguns países.

Ao analisar o momento brasileiro, o Secretário comentou que, apesar das turbulências ocasionadas pela pandemia do coronavírus, o setor de Defesa começa a dar sinais claros de recuperação. “O Brasil superou momentos desafiadores e a nossa Indústria de Defesa comprovou o seu valor. Após mais de 60 anos desenvolvendo produtos e soluções, o setor se apresenta como robusta e diversificado”, destacou.

blank

Degaut enfatizou que a indústria nacional tem competência para oferecer produtos em diferentes ambientes operacionais: aéreo, terrestre, marítimo, espacial e cibernético. Além de possuir experiência no desenvolvimento, certificação, fabricação, entrada em serviço e suporte para operação de novos produtos. Um exemplo disso é o avião C-390, que já entrou em operação com a Força Aérea Brasileira e foi vendido para Portugal e Hungria.

No que diz respeito à ação governamental no setor de Defesa, o secretário revelou que o Brasil vem fortalecendo as relações com alguns países no sentido de ampliar a cooperação na área de indústria de defesa. Ele comentou que a Industria de Defesa nacional vive um momento de amadurecimento, tendo estabelecidas ações voltadas à sustentabilidade do negócio, como o fortalecimento da Tríplice Hélice (projetos que envolvem o Governo, Indústria e Academia).

A indústria também tem buscado parcerias para ampliar a eficiência operacional e melhorar o uso de recursos, além de ampliar os mercados. “O Brasil entende que o cenário atual requer uma colaboração significativa entre as diferentes áreas de Defesa para que o setor tenha condições de ampliar a sua força e capacidade de reação, neste cenário complexo”. Os produtos de Defesa (PRODE) brasileiros já estão presentes em 130 países. “Além disso, o Ministério da Defesa brasileiro está intensificando as relações com os governos e a participação em feiras internacionais”.

Setor Aéreo

Em relação ao setor aéreo brasileiro, Marcos Degaut relatou que nos anos 70, a Força Aérea Brasileira desenvolveu o sistema integrado de gestão de tráfego aéreo e Defesa, em parceria com a iniciativa privada. O modelo é aplicado em outros países, com o mesmo nível de integração. O sistema, que conta com alto nível de integração, permite economia de custos e resposta mais rápida, o que facilita ações de defesa e segurança.

Ele também teve sua segurança comprovada internacionalmente pela ICAO (Organização da Aviação Civil Internacional) no Programa de Auditoria de Supervisão de Segurança Universal. Conforme avaliação, o sistema brasileiro alcançou o índice de 95,07% de conformidade, o que o classifica entre os cinco primeiros do mundo.

No que diz respeito à capacidade, a indústria brasileira conta com uma base bem estabelecida. O principal cluster do setor está localizado no estado de São Paulo onde se concentram mais de 300 empresas e dezenas de startups.

Ao comentar aspectos relativos à mobilidade, Degaut informou que São Paulo já tem o segundo maior tráfego global de helicópteros. “Estamos cientes dos novos desafios que chegam com o Urban Air Traffic Management (UATM) e a popularização do ecossistema. Os órgãos públicos e empresas privadas brasileiras têm um roteiro para expandir suas capacidades e lidar com o novo modelo. Os impactos precisam ser tratados corretamente para obter a sustentabilidade do modelo”, avaliou. No futuro, aeronaves elétricas irão ampliar o tráfego urbano. O cenário exigirá cooperação entre as nações, na busca de soluções. “O Brasil está preparado para fazer parte deste cenário global”.

Inovação

No que se refere à inovação, o Secretário destacou projetos em que as empresas brasileiras desenvolveram aeronaves que operam com alta eficiência, o que demanda menos quantidade de combustível por passageiro. Também há uma elaboração de estudos para o desenvolvimento de plataformas híbridas em que as aeronaves terão condições de decolar e pousar em pistas curtas, com menos de mil metros. O conceito estabelece o desenvolvimento de motores híbridos nos sistemas de turboélice e elétrico. Também, em produção no Brasil, projetos no segmento de sistemas de radar e segurança cibernética.

“A próxima década terá muitos desafios. Mas o conceito brasileiro de Gestão Integrada do Tráfego Aéreo (ATM) é uma base estável para lidar com a ideia de operação integrada de um novo padrão de mobilidade urbana”. Degaut lembrou que o Brasil, com a sua tradição está preparado para liderar os esforços internacionais e oferecer soluções ao mercado. “O cluster brasileiro é referência internacional em aeronaves de controle full fly-by-wire e automação, capacidade de desenvolvimento multifuncional, defesa e desenvolvimento de software”, concluiu.

  • Com informações e fotos da SEPROD/ Governo Federal/Ministério da Defesa via redação Orbis Defense Europe.


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: