Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais realiza primeira fase de avaliação operativa

blank
Inspeção em material de pronto uso individual

No dia 21 de maio, no Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais, foi realizada a primeira fase da avaliação operativa efetuada pela Comissão de Inspeção e Assessoria do Adestramento da Força de Fuzileiros da Esquadra (CIAsA-FFE).

A verificação inicial realizada na primeira etapa possibilitou aos membros da CIAsA-FFE avaliar aspectos relacionados à doutrina, organização, pessoal, ensino, material, adestramento e infraestrutura, que estão diretamente relacionados à efetividade do emprego dos elementos de operações especiais do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN).

Inspirada em avaliações operativas efetuadas há muito nos navios da Esquadra Brasileira, a CIAsA-FFE tem o propósito de avaliar a capacidade operativa da unidade e todas as condições que contribuem para o sucesso em operações.

Em fase de implantação no CFN, tais inspeções têm sido realizadas sob a coordenação do Comando do Desenvolvimento Doutrinário.

Para a 1a CIAsA do Batalhão Tonelero, a comissão foi integrada por pessoal do Comando de Operações Navais, da Força de FFE, do Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo e do Centro de Avaliação da Ilha da Marambaia (CADIM).

Ressalta-se ainda a participação, como observadores, do Subchefe de Inteligência Operacional do Comando de Operações Navais, Contra-Almirante (FN) Rogério Ramos Lage, e de integrantes do Grupamento de Mergulhadores de Combate, visando à futura implementação da CIAsA na unidade.

A segunda fase de avaliações da CIAsA no Batalhão Tonelero ocorrerá no Centro de Adestramento da Ilha da Marambaia (CADIM), entre os dias 27 e 31 de maio, com a participação das três Companhias de Operações Especiais da unidade.

No período, serão realizadas infiltrações por salto semiautomático na água, fast rope, helocasting e com embarcações pneumáticas.

Tais atividades contarão com o apoio de uma aeronave C-95 Bandeirante da Força Aérea Brasileira (FAB), da Corveta “Julio de Noronha” e de um helicóptero UH-15 do Esquadrão HU-2, possibilitando a realização de atividades típicas das ações de reconhecimento e das ações de comandos.

  • Com informações do CCSM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here