Beretta vence licitação internacional e fornecerá 300 fuzis à PMESP

Imagem via Beretta Defense Int.

A compra faz parte de um programa de modernização do armamento da corporação, que inclui ainda 40 mil pistolas, armas de choque, 1.300 fuzis e 10 metralhadoras, que somarão mais de R$ 109 milhões.
A fabricante de armas italiana Beretta venceu uma licitação internacional da Polícia Militar de São Paulo e fornecerá 300 fuzis de assalto (menor, mais dinâmico e operacional) no calibre 5.56mm para a tropa. O valor unitário de cada arma ultrapassa R$ 10.525.

A PM paulista queria um fuzil diferente, que está entre um dos modelos mais modernos no mundo, a plataforma Adaptive Combat Rifle, chamada de ACR (da sigla em inglês, rifle de combate adaptável) e tem como referência um programa de modernização de armamento do Exército dos Estados Unidos.
Os novos fuzis serão usados pelas tropas do policiamento do Choque, como o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) e as Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), além dos batalhões especiais táticos localizados no interior do estado (Baeps).
A plataforma confere adaptabilidade ao fuzil para diversas situações no terreno e nas ruas, podendo ser empregado em diferentes tipos de operações. Também é possível a troca de cano e de calibre sem a necessidade da arma passar por manutenções diferenciadas.

As empresas nacionais fabricantes de fuzis – Imbel e Taurus – não participaram da concorrência, pois não possuem armas na plataforma ACR pedida pela PM.
Além da vencedora Beretta, participaram da licitação a FN Herstal (procedente da Bélgica) e a CZ (da República Tcheca). A empresa CZ não foi credenciada devida a falhas na documentação.

Especificações do ARX 160. Imagem via Berreta Defense Int.

Na fase de propostas, realizada na quarta-feira (11), a Beretta ofereceu o fuzil ARX 160 no valor de € 2.339,00 (R$ 10.543,98) e a FN incluiu na disputa o fuzil SCAR L, com valor de € 4.610,89 (R$ 20.785,43).
As disputas em lances prosseguiram até que a Beretta fosse considerada vencedora com a proposta de € 2.335,00 (R$ 10.525,95) e a FN Herstal foi classificada em segundo lugar, com a oferta de € 4.610,89 (R$ 20.785,43). Agora, a fabricante italiana terá 15 dias para entregar à PM amostras dar armas, que serão submetidas a diversos testes.

Mais encomendas e compras

A PM também comprará 40 mil pistolas calibre .40, em cuja licitação internacional saiu-se vencedora a fabricante austríaca Glock, que já fornece pistolas para a Polícia Federal e outras polícias no Brasil.
A previsão inicial era pagar até R$ 2 mil por cada arma. Mas, após pós 28 rodadas de lances, a Glock fez a melhor oferta com o valor de R$ 891,66, ficando classificada em primeiro lugar.
A estimativa é que a compra resulte uma economia de R$ 53 milhões aos cofres públicos, conforme o Centro de Material Bélico da corporação.
Participaram da disputa, além da Glock, a italiana Beretta e a fabricante turca Canik. A brasileira Taurus não participou da disputa. Atualmente, a fabricante responde a processos administrativos e judiciais por parte da PM de SP e de outros estados por falhas em pistolas e submetralhadoras, mas não há restrições a sua participação em licitações.

Com informações da PMESP, Beretta via redação Orbis Defense.



DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below