Boeing e Marinha dos EUA demonstram capacidade de decolagem do F/A-18 Super Hornet com rampa de esqui

As demonstrações ocorreram na Base Aérea Naval Station Patuxent River, e mostraram que o Super Hornet se sairia bem com o sistema de decolagem curta

blank

A Boeing e a Marinha dos Estados Unidos provaram recentemente que o F/A-18 Super Hornet pode operar em uma rampa de “salto de esqui”, demonstrando a adequação da aeronave para porta-aviões da Índia. A Marinha indiana está avaliando suas opções de caça.

Se selecionar o Super Hornet, se beneficiará dos bilhões de dólares investidos em novas tecnologias pela Marinha dos EUA e outros. Essas tecnologias incluem redes avançadas, maior alcance por meio de tanques de combustível conformados, busca e rastreamento infravermelho e um novo sistema avançado de cabine.

“Este marco posiciona ainda mais o Block III Super Hornet como um versátil caça de linha de frente de última geração nas próximas décadas”, disse o vice-presidente de Vendas Internacionais da Boeing Defense, Space & Security, Thom Breckenridge.

“Com suas capacidades comprovadas, preço de aquisição acessível, baixos custos de ciclo de vida documentados e cronograma de entrega garantido, o Block III Super Hornet é idealmente adequado para atender aos requisitos de aeronaves de caça de clientes na Índia, América do Norte e Europa”, explicou.

blankAs demonstrações em rampa de esqui seguem a entrega de duas aeronaves de teste de voo Block III para Marinha dos EUA em junho. A Boeing tem um contrato para fornecer capacidades do Bloco III de próxima geração para Marinha a partir de 2021.

O Super Hornet fornece a maioria das armas ao alcance do estoque de caças da Marinha dos EUA, incluindo cinco vezes mais ar-solo e o dobro do ar, e capacidade de armas aéreas.

O foco em aeronaves e serviços avançados da Boeing desempenha um papel importante na prontidão para a missão da Força Aérea e da Marinha da Índia.

A Boeing está focada em entregar valor aos clientes indianos com tecnologias avançadas e está comprometida em criar valor sustentável no setor aeroespacial indiano – desenvolvendo fornecedores locais e moldando colaborações acadêmicas e de pesquisa com instituições indianas.

  • Com agências internacionais