Busca ao submarino KRI Nanggala será ampliada com três navios de resgate

Os navios submarinos de resgate de três países diferentes (Índia, Malásia e Cingapura) estão a caminho do local perto de Bali

blank

Google News

Os esforços de busca ao submarino indonésio KRI Nanggala (402) e sua tripulação, se intensificaram nesta quinta-feira (22), mas ainda não fora encontrada qualquer sinal do submarino.

Enquanto isso, navios submarinos de resgate de três países diferentes estão a caminho do local perto de Bali. Índia, Malásia e Cingapura enviaram seus respectivos navios de resgate submarino para a área com Malásia e Cingapura afirmando que a tripulação de seus navios foi aumentada com uma equipe médica embarcada.

O MV Swift Rescue, de Cingapura, partiu da Base Naval de Changi, na quarta-feira (21) e deve chegar ao local neste fim de semana, de acordo com o Centro de Informação das Forças Armadas da Indonésia. 

O Ministério da Defesa da Malásia por meio de nota, confirmou que seu navio de resgate submarino, MV Mega Baktihavia, deixou sua base nesta quinta-feira (22) às 7h (hora local), e está programado para chegar às 15h de domingo. 

Já o Ministério da Defesa da Índia afirmou que o seu Deep Submergence Rescue Vessel (DSRV) foi enviado na quinta-feira (22) da Base Naval Visakhapatnam, embora não tenha dado tempo de chegada.

O ministro da Defesa indiano, Rajnath Singh, também disse em sua conta oficial no Twitter que solicitou à Força Aérea Indiana para ver a viabilidade da indução do sistema de intervenção DSRV por via aérea.

No início da manhã de quinta-feira (22), o Centro de Informação das Forças Armadas da Indonésia declarou em uma entrevista coletiva em Bali que cinco navios da Marinha indonésios, as fragatas: KRI Raden Eddy Martadinata (331) e KRI I Gusti Ngurah Rai (332), a corveta KRI Diponegoro (365) , o navio-hospital KRI Dr. Soeharso (990) e o varredor de minas KRI Pulau Rimau (724), juntamente com um helicóptero Pantera AS565 da Marinha – estavam atualmente procurando pelo submarino e que o navio de pesquisa KRI Rigel (933) estava entrando na área de busca. 

Várias manchas de óleo foram encontradas em vários locais na área de busca, mas nenhuma delas pôde ser confirmada como proveniente do submarino desaparecido, disseram as autoridades.

No entanto, durante uma coletiva de imprensa realizada pelo Chefe das Forças Armadas da Indonésia, Marechal do Ar Hadi Tjahjanto e o Chefe da Marinha da Indonésia, almirante Yudo Margono, em Bali, o almirante Margano disse que 21 navios da Marinha da Indonésia, dois submarinos e cinco aeronaves estavam conduzindo operações de busca embora ele não identificou os navios envolvidos.

O chefe da marinha indonésia também afirmou que se esperava que o submarino desaparecido tivesse 72 horas de oxigênio disponíveis a partir do momento em que o contato foi perdido e que o oxigênio acabaria por volta das 3h do sábado, horário da Indonésia.

Margano destacou que o submarino no momento de seu desaparecimento estava totalmente pronto para o combate e em serviço desde 1981 havia realizado 15 disparos de torpedos de treinamento e dois torpedos vivos em exercícios de afundamento de navios onde ambos os alvos haviam sido afundados. 

Acrescentou que o submarino desaparecido tinha sido submetido a manutenção portuária no estaleiro PT Pal em janeiro de 2020. Margano afirmou ainda que dez países membros de um grupo de conferência de submarinos ofereceram assistência, mas não referiu quais os países e a conferência específica de submarinos grupo. 

O Marechal do Ar Tjahjanto afirmou que um objeto magnético flutuando a uma profundidade de 50 a 100 metros foi encontrado e que KRI Rigel estava a caminho para recuperá-lo. Ambos os chefes já haviam voado para o KRI Dr. Soeharso para observar o andamento da operação de pesquisa.

  • Com informações do site USNI
  • Tradução e Adaptação: DefesaTv


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank
blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: