Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo promove evento à crianças deficientes

Fernando Frazão/Agência Brasil

O Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (Ciasc), abriu suas portas neste sábado (11) para realização do evento “Um Dia de Fuzileiro Naval e Marinheiro”, o qual se destina as crianças com deficiência. A iniciativa, que chega à sua terceira edição, busca promover a inclusão através de atividades.

“Começou sendo um projeto voltado para crianças com autismo, mas foi dando tão certo que foi se expandindo. Hoje, ele alcança crianças com outras deficiências e a Marinha do Brasil (MB) acolhe também as famílias. O sucesso é tão grande que outras unidades no Brasil estão replicando o evento”, disse o contra-almirante Renato Ferreira, comandante do Ciasc.

Segundo o CA Renato, o retorno imediato são os sorrisos das crianças. “Elas fazem a camuflagem, que é a pintura do rosto, interagem com os instrumentos musicais da banda dos fuzileiros navais e têm a oportunidade de ver nossos equipamentos mais vistosos como o helicóptero e os carros de combate. As crianças podem passear nas viaturas”.

O evento integra o calendário oficial do aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN), que completou 211 anos, no último dia 7. O Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines) foi uma das instituições parceiras das atividades e levou cerca de 80 alunos.

“É um ambiente perfeito para os surdos porque é um ambiente visual. Eles também têm contato com livros, computadores, fotos. Estavam presentes crianças com síndrome de down, com autismo, e houve uma forte interação entre pessoas com diferentes deficiências. Há um aprendizado muito grande nessa integração. Os surdos estão muito felizes e vamos continuar essa parceria com a Marinha”, disse André Martins de Bulhões, diretor-geral do Ines.

Roberto da Silva dos Santos, pai de uma criança autista de 8 anos, avaliou positivamente a atividade proporcionada pela Marinha. “Ele gosta de ver militares pela televisão. Ter esse contato ao vivo, participar dessas atividades de maneira bem divertida e poder se aproximar dos coleguinhas é muito bacana”, revelou.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Com informações da agência Brasil


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below