Centro Tecnológico do Exército apresentará Projeto Rádio Definido por Software de Defesa na LAAD 2019

blank

Google News

O Centro Tecnológico do Exército (CTEx) irá expor o Projeto Rádio Definido por Software de Defesa (RDS-Defesa) na Feira Internacional de Defesa e Segurança – LAAD Defense & Security 2019, conforme convite abaixo. Serão montados protótipos do rádio nas áreas interna e externa.

Na área interna da feira, o RDS-Defesa ficará no estande do CTEx (O.122, Pavilhão 4). Na área externa, por sua vez, estará instalado em uma VBTP Guarani, no espaço destinado ao Exército Brasileiro, mais precisamente na metade superior à direita.

Serão realizadas as seguintes demonstrações de funcionalidades do RDS durante a LAAD 2019:

  1. Transmissão simultânea de duas Formas de Onda (FO) digitais entre dois protótipos completos (com todos os módulos) do RDS-Defesa, um localizado na área interna e o outro na área externa. A primeira FO será integrada com o Sistema de Comando e Controle “Gerenciador do Campo de Batalha (GCB)”, sob responsabilidade do Centro de Desenvolvimento de Sistemas (CDS), enquanto que a segunda FO permitirá transmissão de voz codificada, a chamada “Vocoder”. As duas FO foram desenvolvidas pela Fundação Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), em conjunto com a equipe técnica deste Centro Tecnológico; e
  2. Interoperabilidade do RDS-Defesa com um rádio comercial da Harris, utilizando FO na faixa de HF, também desenvolvida pelo CPqD, em conjunto com a equipe técnica do CTEx, o que demonstrará a capacidade do RDS-Defesa interoperar com rádios legados.

O Projeto RDS-Defesa, que conta com apoio da FINEP, foi aprovado e autorizado pela Portaria nº 2.110, do Ministério da Defesa (MD), de 09 de agosto de 2012, e possui a participação das três Forças Armadas. Coube ao Exército Brasileiro a coordenação do projeto, responsabilidade que essa Força delegou ao Centro Tecnológico do Exército.

O objetivo geral do Projeto é desenvolver rádios definidos por software multibanda, operando nas faixas de HF, VHF e UHF, mais precisamente de 2 a 512 MHz e na faixa de 700 MHz, nas versões veicular, manpack e handheld, com os seguintes objetivos intermediários:

  • Promover a interoperabilidade nas comunicações táticas das Forças Armadas brasileiras; estabelecer laços institucionais entre Instituições de Ciência e Tecnologia (ICT) civis e militares;
  • Atuar no espaço cibernético com liberdade de ação; fomentar a indústria nacional, particularmente a Base Industrial de Defesa; contribuir com a formação e aperfeiçoamento de pessoal altamente qualificado; e
  • Criar condições para iniciar a Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de rádios cognitivos, que é a evolução do RDS.
blank
Localização da área externa. Espaço destinado ao Exército Brasileiro
  • Com informações do Instituto Militar de Engenharia


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio:

1 COMENTÁRIO

  1. Sem dúvidas, os avanços na área de Ciência e tecnologia de faz muito importante para o desenvolvimento da Defesa Cibernética de nossa Nação. Tudo pelo BEM COMUM. ADESG RJ.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here