Cerimônia de batismo de aeronaves no Musée Clément Áder

 

Em uma cerimônia séria e bem organizada, o Musée Clément Áder recebeu diversos convidados entre autoridades civis e militares da região para o batismo de aeronaves que foram oficialmente integradas ao acervo da instituição, uma das mais interessantes que já pude conhecer não só devido a coleção variada e muito bem preservada, como também por ser uma instituição que é gerida e mantida por uma associação de voluntários que reúne aficcionados e profissionais da aviação na França.


Nessa cerimônia ocorrida no dia 10 de outubro, foram batizadas cinco aeronaves que estão agora oficialmente integradas à coleção do Musée Clémen Áder, e assim iniciam uma “vida nova”, salvas de um provável fim em um desmonte para reciclagem de material como acontecem com outras milhares de aeronaves desativadas da vida operacional pelo mundo afora.


Antes da integração oficial ao acervo do museu, as aeronaves passaram cada uma, por aproximadamente 2 mil horas de trabalho entre o desmonte nas bases para transporte  e no seu processo de restauração, totalmente feito por voluntários da associação.


A cerimônia contou com a presença de uma guarda de honra militar da Armée de l’Air, integrada por militares da Base Aerienne 942 de MontVerdun, que abrilhantou o evento, assim como a passagem a baixa altura de dois caças Dassault Rafale da Armée de l’Air sobre o local.

As aeronaves

Dassault Mirage III C Escadron Cigognes

 

Alouette III Sécurité Civile de 1959

 

Spitfire Mark IX ML 407

Obs; réplica em escala 1/1 da aeronave pilotada pelo Cnd Jean Dabos do groupe Alsace 341 da França Livre durante o dia “D”. Essa réplica foi usada no famoso filme de guerra “Durnquerque”.

 

Dassault Super Mystére B2/145 de 1955

 

Dassault MD-450 Ouragan de 1952

A tradição do batismo de aeronaves

A origem do batismo de aeronaves é tão antiga quanto a aviação, mas tem origens incertas. Inicialmente o batismo de uma aeronave se dá quando ela sai da fábrica e é entregue nova ao seu primeiro operador, sendo efetuado um pequeno banho de “vinho espumante” (Champagne, Clarette de Die ou Prosecco) em partes frontais da aeronave, geralmente o “nariz” ou trem de pouso da mesma. Obviamente a tradição do batismo vem da adaptação de tradições de Marinha de Guerra de vários países, já que muitos aviadores dos primórdios foram oriundos das forças navais.


A tradição de batismo aeroportuário com caminhões de Bombeiros lançando jatos de água sobre as aeronaves que chegam a um aeroporto também vem de tradições navais, aonde os rebocadores e outras embarcações abriam jatos de  com seus canhões de água de combate ao fogo, molhando os navios que chegavam pela primeira vez à um porto ou em outras comemorações importantes.

Sobre o Musée Clément Ader – EALC.

O Musée Clément Áder, um dos mais interessantes museus de aviação da França, mesmo não posssuíndo grandes espaços e instalações imponentes.  Aqui estão preservadas não só aeronaves de exceção, verdadeiras pérolas da aviação como também se preserva uma interessante  instalação de uma base militar desativada de uma antiga unidade da ALAT , a Aviação leve do Exército francês.
Aassociação ‘EALC” que gera o museu existe desde 2003, e em 2012 iniciou oficialmente as atividades nas instalações da já desativada 5e Groupe d’Hélicoptères Légers de l’aviation légère de l’armée de terre (ALAT).


A iniciativa desse grupo de voluntários que criou o museu Clément Áder em Lyon/Corbas preserva uma variedade de aeronaves de todos os tipos e de vários peŕiodos da aviação francesa, e, a coleção conta também com  equipamentos diversos, tais como motores, cápsulas de ensaios, instrumentações diversas, maquetes   e até mesmo um simulador de vôo todo feito em Lego totalmente operacional!
O museu também funciona como um polo de aprendizagem, organizando encontros, palestras e cursos diversos voltados ao conhecimento e formação aeronáutica de iniciação.

Imagens do evento

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below