Challenger 3; o novo MBT do Exército Britânico

blank
Foto do novo MBT Challenger 3, via British Army (Exército Britânico)/Rheinmetall BAE Systems Land (RBSL).

Google News

Uma grande atualização do principal tanque ( ou, carro de combate) de batalha do Exército Britânico, com poder de fogo extra e sistemas de proteção de última geração, garantirá que o Reino Unido permaneça na vanguarda do projeto de tanques, pronto para responder às futuras ameaças e desafios globais.

Um contrato com a Rheinmetall BAE Systems Land (RBSL) para preparar 148 tanques Challenger 3 estenderá a data de inatividade da plataforma até 2040. Ela fornecerá 200 empregos qualificados na RBSL, incluindo 130 engenheiros e 70 técnicos. Outros 450 empregos serão criados em toda a cadeia de suprimentos mais ampla em West Midlands, Glasgow, Newcastle upon Tyne e Ilha de Wight.

Ainda existirá a oportunidades de exportação da plataforma e apoiará o caso da participação do Reino Unido em quaisquer futuros programas internacionais de tanques.

A revisão de modernização incluirá:

– uma nova arma de cano liso de 120 mm que usa a munição mais avançada disponível globalmente,
– um novo conjunto de miras que fornece aos comandantes de tanques habilidades aprimoradas de mira diurna e noturna,
– nova armadura modular,
– um sistema de proteção ativo, e;
– uma torre que pode ser instalada nos tanques de aliados e parceiros globais.

blank
Existem ainda uma série de outros ítens que são classificados (secretos) não divulgados pela Rheinmetall BAE Systems Land (RBSL). Imagem via Rheinmetall BAE Systems Land (RBSL).

O Subchefe do Estado-Maior General, Tenente General Chris Tickell CBE, disse: “A Revisão Integrada descreveu um Exército transformado que será mais letal, mais protegido e conectado do que qualquer um de seus eqivalentes. O Challenger 3 é uma manifestação exatamente dessa mudança e estará no centro de nossa capacidade de combate. Sua arquitetura digital aberta garantirá que ele seja integrado em todo o campo de batalha, seu armamento principal superará seus adversários e a tripulação terá um nível de proteção único. ”

O Laboratório de Ciência e Tecnologia de Defesa (Dstl) do Reino Unido, James McGeary, disse: “As principais mudanças no design do Challenger 3 fornecem um caminho de aperfeiçoamento para aumentar ainda mais a letalidade já aprimorada oferecida. Essas opções de crescimento irão garantir que o Reino Unido permaneça na vanguarda do design do Main Battle Tank e possa se adaptar e responder a ameaças e desafios futuros. ”

O principal tanque de batalha de hoje está ameaçado por mais sistemas do que nunca, e isso levou o Reino Unido a desenvolver uma nova armadura modular que derrotará até mesmo as ameaças mais exigentes.

Como parte da proteção em camadas do Challenger 3, a frota também será a primeira a receber o melhor sistema de proteção ativa (APS), permitindo reconhecer ameaças de entrada e neutralizá-las. O tanque passará por testes eletromagnéticos completos para garantir sua sobrevivência nos mais exigentes campos de batalha saturados por sensores.

A nova blindagem modular líder mundial foi desenvolvida por meio de avanços na tecnologia de blindagem fornecida pela expertise em blindagem financiada pelo Chief Scientific Advisor (CSA) mantida pela Dstl. Esta invenção (IP – propriedade intelectual) de propriedade da Dstl gerou um interesse significativo e está sendo explorada por meio dos vínculos estreitos que a Dstl tem com a MOD e a indústria.

blank

O Challenger 3 liderarará as forças blindadas da OTAN com os mais altos níveis de letalidade e capacidade de sobrevivência nos campos de batalha de hoje e até 2040. Ele consegue isso não apenas usando a nova arma, mas também fazendo uso da munição mais avançada disponível globalmente em nosso aliados.

O novo conjunto de miras oferece ao comandante do tanque uma capacidade independente de caçador, dia / noite, para todas as condições meteorológicas, o que permite que eles adquiram e ataquem alvos mais rapidamente do que adversários em potencial.

O carro de combate também foi projetado para desempenhar seu papel na guerra de múltiplos domínios, ao mesmo tempo em que mantém a capacidade de operar no ambiente litorâneo (entre a terra e o mar) em apoio à Força de Comando do Futuro.

O Challenger 3 será equipado com um backbone digitalizado conectando-o aos outros veículos de combate que compõem a Brigada de combate, permitindo o compartilhamento de dados entre domínios para fornecer vantagem de informações e permitir a integração de vários domínios e uma vantagem sobre os adversários.

Com seu design modular, ele oferece aos comandantes operacionais um conjunto de capacidade de sobrevivência aprimorado, capaz de enfrentar qualquer ameaça no campo de batalha que possa encontrar em todo o mundo.

Ao todo, o novo e aprimorado Main Battle Tank do Exército Britânico terá um impacto real e representa um grande upgrade de geração em capacidade. Será a capacidade de manobra anti-blindagem, de precisão, fogo direto, anti-blindagem, de apenas 24 horas, para qualquer clima, móvel, protegida, de precisão, e será crítica para a capacidade da Defence de fornecer força pesada, sustentando nossa credibilidade no domínio terrestre e subscrevendo nossos compromissos para nossos aliados.

Abaixo, vídeo institucional do novo conceito do MBT Challenger 3 do British Army:

Abaixo, vídeo do modelo atual Challenger 2, em uso pelo British Army:

  • Fonte: British Army (Exército Britânico)/Rheinmetall BAE Systems Land (RBSL), via redação Orbis Defense Europe.



Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: