Chefe do Centro de Comunicação Social do Exército, Gen Rêgo Barros será o novo porta-voz do governo

O general de Divisão Otávio Santana do Rêgo Barros, que atualmente é o chefe do Centro de Comunicação do Exército (CCOMSEx), fora indicado pela Presidência da República para ser o novo porta-voz do governo. Consultado pela reportagem, o general confirmou sua indicação e se disse “muito honrado em servir o governo e o Brasil”. O Gen Rêgo Barros será subordinado diretamente à Presidência da República e não terá vínculo direto com a Secom (Secretaria de Comunicação Social), como funcionava anteriormente. O porta-voz será responsável pelo relacionamento com a imprensa enquanto o chefe da Secom, cuidará da comunicação institucional do governo e dos contratos nas áreas de publicidade. 

Desde que assumiu o cargo, em 1º de janeiro, o presidente está utilizando a antiga estrutura de comunicação do Palácio do Planalto, a qual vinha transmitindo comunicados oficiais da Presidência e informando a agenda do mandatário. O general está a frente da Comunicação do Exército desde abril de 2014 e esteve à frente da área durante toda a gestão do general Eduardo Villas Bôas como comandante da instituição. O general foi comandante do contingente brasileiro na missão de paz no Haiti em 2010 e chefiou uma grande operação no Complexo do Alemão (2011-12), além de ter cuidado da segurança da conferência Rio+20 (2012). Em entrevista em 2017, indagou sobre se a sociedade estava preparada para abrir mão do direito individual em prol do coletivo, ao comentar o uso de tropas militares para reforçar a segurança no Rio de Janeiro. 

Na ocasião, Rêgo Barros defendeu um projeto de lei que previa o julgamento pela Justiça Militar de crimes comuns cometidos por integrantes das Forças Armadas. Como justificativa, disse que isso daria segurança jurídica a soldados. Durante a campanha eleitoral, Bolsonaro defendeu o excludente de ilicitude como uma de suas principais propostas para segurança pública. Segundo o presidente, isso daria uma ‘retaguarda jurídica’ para ação de militares no combate ao crime. Em um artigo publicado em julho do ano passado, no Blog do Exército (E-blog), Rêgo Barros fala sobre desafios da comunicação com as novas tecnologias. O texto leva o título “Estejamos preparados! A guerra sequer começou” e cita o célebre livro de George Orwell 1984. 

“Há, em andamento, luta silenciosa e desigual nos bastidores da comunicação entre a valorização daquilo que as pessoas de bem consideram “correto” e as forças obscuras que cultuam o “errado”. As Forças Armadas e, em especial, o Exército Brasileiro, são as instituições que mais têm atendido às diversificadas demandas da sociedade, até aquelas intangíveis e apenas no imaginário dos cidadãos”. As crescentes correntes de pedido de participação em assuntos que, muitas vezes, não são missões constitucionais, demonstram a elevada confiabilidade da população nas três Forças, situação comprovada por pesquisas de opinião. Por fim, esses dois fatores: a dinâmica provocada pelas inovações tecnológicas e as mudanças culturais e de valores, vão motivar ajustes ou correções de rumo da comunicação social”, escreveu o general.

*Com informações da FolhaPress

You may also like





1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below