Chega ao fim o Curso de Resposta Tática da PRF com 13 formandos

A tarde do dia 3, foi marcada por um evento considerado divisor de águas na área da instrução da Polícia Rodoviária Federal; chegou ao fim o primeiro Curso de Resposta Tática (CRT) da PRF. Considerado um autêntico curso de operações especiais, o CRT formou 13 policiais rodoviários federais. A cerimônia de certificação dos concluintes aconteceu no Centro de Convenções da PRF, localizado no Complexo Sede do órgão, em Brasília.

O Curso de Resposta Tática nasceu a partir de uma necessidade de formar policiais rodoviários federais na área de operações especiais sem ter que depender das instituições que já possuem cursos da mesma natureza há muitos anos, como é o caso de diversas polícias militares, que têm os seus batalhões de operações policiais especiais (BOPE) como os principais vetores de formação. Alguns policiais rodoviários federais passaram pelos cursos oferecidos pelas polícias militares parceiras. Fora estes poucos que tiveram formação nos BOPE, diversos integrantes das unidades espacializadas da PRF realizam variados cursos que, somados, assemelham-se à formação unificada em operações especiais.

crt6.jpg

O curso teve uma carga horária total de 550 horas-aula. O que correspondeu a uma duração de 10 semanas de atividades; isto é, dois meses e meio de intensos treinamentos. Foi dividido em três fases, composto pela fase rústica, policial e técnica. Durante a jornada, os alunos tiveram instruções de técnicas especiais de tiro, cumprimento de mandados de alto risco, técnicas de defesa policial, princípios básicos para a saúde, gerenciamento de crises, noções de técnicas de sobrevivência, técnicas de abordagem, patrulha rural e urbana e segurança e proteção e autoridades.

A PRF recebeu a cooperação de instituições que cederam apoio logístico e estruturas para que o curso pudesse ser realizado. Os parceiros foram o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) da Polícia Militar do Rio de Janeiro,Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) da Polícia Militar do Distrito Federal, a Marinha do Brasil, a Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) da Polícia Civil do Rio de Janeiro, o Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) da Polícia Militar de São Paulo, a Divisão de Operações Especiais (DOE) da Polícia Civil do Distrito Federal e do Batalhão de Polícia Militar Ambiental da Polícia Militar do Distrito Federal.

No início 44 candidatos fizeram os testes em Brasília, 26 deles iniciaram o curso e apenas 13 chegaram ao final. O pequeno grupo de concluintes foi formado por nove integrantes do Grupo de Resposta Rápida (GRR), que pertence à Coordenação de Operações Especializadas e de Fronteira (COE); um do Núcleo de Operações Especiais do Distrito Federal (NOE/DF); um do Núcleo de Operações Especiais de Minas Gerais (NOE/MG); um do Núcleo de Operações Especiais do Mato Grosso do Sul (NOE/MS) e um da 2ª Delegacia da Superintendência da PRF em Rondônia.

crt5.jpg

A cerimônia contou com as presenças do diretor-executivo da PRF, José Roberto de Lima, do coordenador-geral de operações, Antônio Vital; do coordenador da Academia Nacional da PRF, Ciro Vieira Ferreira; do corregedor-geral, Célio Constatino, do superintendente da PRF em Rondônia, Bruno Malheiros; do coordenador-geral do curso, Giovanni di Mambro; além de diversos outros policiais, representante da Marinha Brasileira e familiares dos formandos. Uma presença de destaque foi a da banda de música do Batalhão da Guarda Presidencial (Exército Brasileiro), que executou os hinos Nacional, da PRF, além de outras músicas durante o evento.

Fonte: Agência PRF





Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here