Chegam a Pernambuco os navios da Marinha do Brasil para atuarem nas regiões afetadas pelas manchas de óleo

O Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha do Brasil (MB), Agência Nacional de Petróleo (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), informa que, na manhã deste domingo (10), atracaram no Porto de Suape (PE) o Porta-Helicópteros Multipropósito (PHM) Atlântico e o Navio Doca Multipropósito (NDM) Bahia.

Os navios transportam um Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais composto por cerca de 700 Fuzileiros Navais e mergulhadores, além de viaturas e equipamentos. Esses militares receberam treinamento de equipes da Petrobras, sob protocolo do Ibama, e atuarão, prioritariamente, na limpeza em manguezais, estuários e arrecifes.

Equipes de saúde realizarão investigação médico-sanitária na região. Dando continuidade às ações de prevenção e recuperação das regiões afetadas pelas manchas de óleo, a Coordenação Científica do GAA, em conjunto com professores e pesquisadores, vem realizando estudos por meio de grupos de trabalho interdisciplinares com os objetivos de avaliar os impactos ambientais e socioeconômicos, além de monitorar e estabelecer ações de recuperação dos ecossistemas.

No sábado (9), na Ilha de Santa Bárbara, arquipélago de Abrolhos-BA, foram encontrados e recolhidos, por equipes do Rádio Farol da MB, cerca de 1,3 kg de resíduos compostos por fragmentos de óleo, resquícios de algas e areia. Hoje, não foi observada nova presença oleosa em Abrolhos.

Leia mais:

Os estados do Ceará (CE), Rio Grade do Norte (RN), Pernanbuco (PE), Sergipe (SE) e Paraíba (PB) estão com as praias limpas. As seguintes localidades permanecem com vestígios de óleo, com ações de limpeza em andamento: Japaratinga, Barra de São Miguel, Coruripe e Feliz Deserto, em Alagoas; Ilha de Poldros, no Maranhão; Ponta dos Tubarões e Cassange, na Bahia; e Itaúnas e Guriri, no Espírito Santo.

Até o momento, mais de 4.800 militares da MB, 34 navios, sendo 30 da MB e quatro da Petrobras, 22 aeronaves, sendo 11 da MB, seis da Força Aérea Brasileira (FAB), três do Ibama e duas da Petrobras, além de 5.000 militares e 140 viaturas do Exército Brasileiro (EB), 140 servidores do Ibama, 80 do ICMBio e 440 funcionários da Petrobras atuam nessa grande operação.

De acordo com o levantamento feito pelo Ibama, foram contabilizadas, aproximadamente, 4.400 toneladas de resíduos de óleo retirados das praias nordestinas, até o dia de hoje. A contagem desse material não inclui somente óleo, mas também é composta por areia, lonas, EPI e outros materiais utilizados para a coleta.

O descarte é feito pelas Secretarias de Meio Ambiente dos Estados. A gravidade, a extensão e o ineditismo desse crime ambiental exigem constante avaliação da estrutura e dos recursos materiais e humanos empregados, no tempo e na quantidade que for necessária.

Caso aviste óleo nas praias, disque 185! Mar limpo é vida!

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Com informações e fotos do Centro de Comunicação Social da Marinha


Receba nossas notícias em tempo real pelos aplicativos de mensagem abaixo:

 

Caso deseje conversar com outros usuários escolha um dos aplicativos abaixo:



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here