China diz que movimentos dos EUA no Mar do Sul “não são bons” para a região

Segundo o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, tal movimentação não é bom para a paz e estabilidade da região

blank
O porta-aviões USS Theodore Roosevelt (CVN 71) se aproxima do petroleiro de reabastecimento de frota USNS John Ericsson (T-AO 194) durante um reabastecimento no mar em 22 de janeiro de 2021. Foto da Marinha dos EUA

Google News

O Ministério das Relações Exteriores da China denunciou na última segunda-feira (25) o recente movimento de porta-aviões dos EUA para o Mar da China Meridional, depois que Pequim enviou aviões militares para sobrevoar a fronteira de Taiwan.

“Não é bom para a paz e estabilidade regional, os Estados Unidos enviarem frequentemente navios e aeronaves militares ao Mar da China Meridional, para exibir músculos”, disse porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, em nota a imprensa.

Zhao disse que Pequim mantém sua visão de que Taiwan é “uma parte instrasferível do território chinês”. “…evitem enviar quaisquer sinais errados, às forças da ‘independência de Taiwan’, para evitar danos às relações China-EUA e a paz e estabilidade em todo o Estreito de Taiwan”, disse Zhao.

Os comentários do Ministério das Relações Exteriores vêm depois que caças chineses voaram perto de Taiwan, e o Grupo de Ataque do porta-aviões USS Theodore Roosevelt se movimentar em direção ao Mar da China Meridional no fim de semana.

De acordo com a agência de notícias Reuters , a China despachou aeronaves no sábado (23) e domingo (24) para a zona de identificação de defesa aérea de Taiwan (ADIZ).

O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, disse que os EUA “observam com preocupação” os esforços da China em tentar “intimidar” países na região como Taiwan, e que a China deve parar de pressionar Taipei.

“Intimamos Pequim a cessar sua pressão militar, diplomática e econômica contra Taiwan e, em vez disso, se envolver em um diálogo significativo com os representantes democraticamente eleitos de Taiwan. Estaremos com amigos e aliados para promover nossa prosperidade, segurança e valores compartilhados na região do Indo-Pacífico – e isso inclui o aprofundamento de nossos laços com o Taiwan democrático ”, disse Price em um comunicado de 23 de janeiro.

“Os Estados Unidos continuarão a apoiar uma resolução pacífica das questões através do Estreito, de acordo com os desejos e melhores interesses do povo de Taiwan. Os Estados Unidos mantêm seus compromissos de longa data, conforme descrito nos Três Comunicados, na Lei de Relações com Taiwan e nas Seis Garantias ”, continuou ele. 

“Continuaremos a ajudar Taiwan a manter uma capacidade de autodefesa suficiente. Nosso compromisso com Taiwan é sólido como uma rocha e contribui para a manutenção da paz e da estabilidade em todo o Estreito de Taiwan e na região. ”, finalizou

Em meio aos voos do fim de semana, a Frota do Pacífico dos EUA disse em um comunicado que o Grupo de Ataque do porta-aviões USS Theodore Roosevelt se deslocou para o Mar da China Meridional no sábado (23) a fim de realizar exercícios e operações de voo enquanto estivesse nesta região.

“Todos nós nos beneficiamos do acesso livre e aberto aos mares e nossas operações representam nosso compromisso com a manutenção da segurança e estabilidade regional”, disse o capitão Eric Anduze, oficial comandante do USS Theodore Roosevelt , em um comunicado.

USS Theodore Roosevelt é enviado à região do Indo-Pacífico pela segunda vez em um ano

O governo Trump adotou um tom crítico em relação à China e fez das preocupações com as ações de Pequim um ponto focal da política dos EUA, e o novo governo Biden parece estar preparado para também buscar uma posição mais dura em relação à China.

“Deixe-me apenas dizer que também acredito que o presidente Trump estava certo ao adotar uma abordagem mais dura em relação à China”, disse Antony Blinken, escolhido pelo presidente Joe Biden para liderar o Departamento de Estado, ao Comitê de Relações Exteriores do Senado na semana passada durante sua confirmação audição.

“Eu discordava muito da maneira como ele fazia isso em várias áreas, mas o princípio básico era o certo e acho que isso é realmente útil para nossa política externa.”, enfatizou.

Blinken também disse aos legisladores que o novo governo manterá o compromisso dos Estados Unidos de garantir que Taiwan tenha suas próprias capacidades de defesa.

“Também gostaria de ver Taiwan desempenhando um papel mais importante em todo o mundo, inclusive em organizações internacionais. Quando essas organizações não exigem o status de um país para ser membro, elas devem se tornar membros. Quando isso acontecer, existem outras maneiras de participar ”, disse Blinken.

“E acho que nosso próprio envolvimento com Taiwan deve ser analisado e, de fato, isso está sendo feito, como você sabe, alguns regulamentos foram promulgados pelo Secretário de Estado cessante. Vamos dar uma olhada naqueles de acordo com a Lei de Garantia de Taiwan. E vamos – vamos olhar para isso. ”

  • Com informações do site USNI News
  • Tradução e Adapatação: DefesaTV


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

Assine nossa Newsletter


Receba em seu e-mail as últimas notícias do DefesaTV, é de graça!

Assista nosso último episódio: