China está ‘seriamente preocupada’ com incidente ocorrido com submarino USS Connecticut

A Frota do Pacífico da Marinha dos EUA informou que o submarino está em "condições seguras e estáveis"

blank

Google News

A China expressou suas preocupações com o incidente ocorrido no ultimo dia 02 de outubro, quando o submarino nuclear norte-americano USS Connecticut (SSN-22) colidiu com um objeto ou algo ainda não confirmado pelas autoridades dos EUA.

“Pequim está profundamente preocupada com o incidente que se passou nas águas internacionais do Indo-Pacífico com o submarino nuclear dos EUA” , disse Zhao Lijian, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, nesta sexta-feira (8). “A China está seriamente preocupada com este incidente”, acrescentou Zhao.

O submarino nuclear SSN-22 atingiu um objeto na tarde do ultimo sábado (2), durante sua navegação por águas internacionais na região do Indo-Pacífico, resultando em vários marinheiros feridos.

O submarino, que não emitiu nenhum sinal de socorro, chegou nesta sexta-feira (08) à base militar de Guam, conforme noticiou o canal CNN, citando uma declaração da Marinha dos EUA.

Possível causa do incidente

Uma colisão com um objeto industrial subaquático, tal como uma plataforma de petróleo, poderia ser a causa do incidente com o submarino norte-americano, afirmou o almirante-submarinista e ex-comandante da Frota do Báltico, Vladimir Valuev.

“A causa de colisão, provavelmente, pode ter sido uma plataforma industrial de petróleo recentemente construída ou que ainda esteja sendo construída, sobre a qual o comando da Marinha americana ainda não foi informado”, disse Valuev.

O almirante sublinhou que o SSN-22, é de uma classe de submarinos nucleares mais avançados da Marinha dos EUA, e por isso é pouco provável que tenha havido uma falha no equipamento de navegação que o levasse à colisão com um recife ou uma rocha.

A disputa pelo Mar do Sul da China

O USS Connecticut estava operando em uma das regiões mais disputadas do mundo. A China reivindica a maior parte do Mar do Sul da China, mas os países vizinhos e os EUA discordam.

Filipinas, Brunei, Malásia, Taiwan e Vietnã têm disputado a reivindicação da China de quase todo o mar por décadas, mas a tensão aumentou constantemente nos últimos anos. Os EUA apoiaram muitos desses países nesta disputa territorial.

O incidente ocorre poucas semanas depois que EUA, Reino Unido e Austrália firmaram um pacto de segurança histórico na Ásia-Pacífico, no que é visto como um esforço para conter a China.

É o maior acordo de segurança entre as três nações desde a Segunda Guerra Mundial (1939-45), segundo analistas do setor de defesa e segurança. Embora os EUA, o Reino Unido e a Austrália sejam aliados há décadas, o pacto formaliza e aprofunda sua cooperação de defesa.

O Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, disse à BBC que estava “profundamente preocupado” com as ações que minam a paz no Estreito de Taiwan, que separa Taiwan da China. Ele falou depois que a China enviou um número recorde de jatos militares à zona de defesa aérea de Taiwan pelo quarto dia consecutivo.

  • Com agências internacionais


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

Assine nossa Newsletter


Receba em seu e-mail as últimas notícias do DefesaTV, é de graça!

Assista nosso último episódio: