CINDACTA IV controla o espaço aéreo de mais de 60% do território nacional

Sediado em Manaus, o quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV) faz parte do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA).

O Centro tem como missão executar as atividades relacionadas à vigilância e ao controle da circulação aérea geral, bem como conduzir as aeronaves que promovem a manutenção da integridade e da soberania do espaço aéreo brasileiro, nas áreas sob sua responsabilidade na Região Amazônica.

Para esse fim, conta com 1.700 militares e servidores civis, distribuídos em 26 Destacamentos de Controle do Espaço Aéreo (DTCEA), além da própria sede, situada em Manaus.

Dotado de pessoal altamente qualificado e de equipamentos tecnologicamente diferenciados, o CINDACTA IV cuida de, aproximadamente,  60% do espaço aéreo nacional, seja por meio de controle do tráfego aéreo comercial, seja no combate a ilícitos, utilizando aeronaves militares; ou mesmo na Busca e Salvamento (SAR), em terra, rios e mar, em apoio à Marinha do Brasil, por meio do SALVAERO-Amazônico.

Para o Coronel Aviador Alexander Santopietro, Comandante do CINDACTA IV, “é um orgulho liderar uma unidade que contribui para a segurança do espaço aéreo brasileiro”. Santopietro ressalta que, quando conversa com pilotos comerciais, recebe constantes elogios pelo trabalho realizado pela Força Aérea Brasileira (FAB). “É gratificante receber feedbacks positivos de usuários do sistema”, destacou.

O comandante enfatizou, ainda, que a criação de uma sala técnica remota, destinada à realização de mais de 290.000 manutenções anuais programadas, possibilitou o incremento da capacidade de manutenção a distância e propiciou a redução de 80% nos gastos com manutenção preventiva e de 54% com homem-hora.

Caso essas manutenções não fossem feitas, poderia haver prejuízos à segurança, desde o aumento da espera de aeronaves no ar até o fechamento de aeroportos, o que geraria transtornos, tanto para os passageiros como para as empresas.

“É bom saber que, por detrás da voz que auxilia o piloto, existe um ou uma militar da FAB na orientação dos procedimentos”, ressaltou.

O CINDACTA IV realiza atividades técnicas e operacionais de acordo com a tarefa desenvolvida. No tocante às atividades técnicas, desenvolve ações na área de Meteorologia Aeronáutica, Defesa Aeroespacial, Gerenciamento de Tráfego Aéreo, Telecomunicações Aeronáuticas e Informações Aeronáuticas, além de busca e salvamento.

No Centro de Controle de Área Amazônico (ACCAz), por exemplo, que abrange os controles dos espaços aéreos de Porto Velho (RO), de Belém (PA), e de Manaus (AM) é realizado o acompanhamento de todos os voos para essas áreas e orientados os procedimentos de aproximações para pousos e pós decolagem.

Já o setor que cuida de combate a ilícitos, monitora a área e conduz interrogatórios necessários nos casos de percepção de ingresso de aeronaves não identificadas, no espaço aéreo brasileiro.

O Major Especialista Renato Wilson Souza Oliveira, que trabalha na área de controle aéreo há mais de vinte anos, disse que, para ele, “é um orgulho ajudar no desenvolvimento do país por meio da contribuição para a segurança do voo.

Isso propicia que brasileiros e estrangeiros possam circular, por via aérea, para trabalhar e se divertir, com a certeza de que a missão da Força Aérea está sendo bem executada.

O CINDACTA também atua na Busca e Salvamento, em terra, nos rios e no mar, em apoio à Marinha, e no controle aéreo de aeronaves militares da Marinha, do Exército e da Força Aérea, quando atuam de forma integrada, em operações conjuntas, como aconteceu na Operação Verde Brasil, que combateu incêndios e ilícitos ambientais na Amazônia, no final de 2019.

Este slideshow necessita de JavaScript.

  • Por Comandante Cléber Ribeiro, via Assessoria de Comunicação Social (Ascom) do Ministério da Defesa




Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail