Cluster Aeroespacial dá início ao Programa de Qualificação em Manutenção, Reparo e Operações de aeronaves

O Programa é subsidiado pelo Cluster e foi criado a partir de uma demanda identificada durante a Oficina de Planejamento Estratégico Participativo do Cluster

blank
Foto: Embraer/Divulgação

O Cluster Aeroespacial Brasileiro deu início ao Programa de Qualificação em Manutenção, Reparo e Operações (MRO) de aeronaves, com o objetivo de preparar e capacitar as associadas a acessarem novos mercados e clientes.

Na primeira fase,  contará com a avaliação do nível de maturidade de 12 empresas. Serão consideradas informações sobre organização empresarial, engenharia de serviço, suporte técnico, gestão de materiais e execução de serviços de manutenção.

Participam do programa as associadas: Aernnova Aerospace do Brasil; Aerocris; Alltec Materiais Compostos;  Globo Usinagem; LACE; Latécoère do Brasil; Legado Usinagem; Nadai Usinagem; Pan-Metal; Tecplas; Thyssenkrupp Autômata e Winnstal.

A Winnstal já passou pela avaliação e aderiu ao programa em busca de novas oportunidades de negócio nesse segmento.

“O mercado de MRO tem previsão de crescimento nos próximos anos e fatores como a pandemia e o agronegócio devem acelerar este processo. Esta iniciativa do Cluster é muito importante para a base nacional de fornecedores”, diz coordenador de processos, Sergio Borges.

O Cluster Aeroespacial Brasileiro tem como um de seus objetivos identificar oportunidades diante de desafios do mercado, sempre em busca de sustentabilidade e competitividade para as associadas.

“O segmento de MRO é interessante, na área de transporte de cargas, na necessidade de adequação de aeronaves e também considerando estratégia brasileira em expandir a base de aeroportos”, avalia Marcelo Nunes, coordenador do Cluster.

Na visão de Diogo Bortolin Barbosa, key account manager da Latécoère do Brasil, o programa ajudará a multinacional a atender seus clientes em menor tempo: “Estamos participando do programa com o intuito de ramificar ainda mais nossas atividades na América do Sul. Atualmente, o grupo Latécoère já trabalha com MRO na Europa e, com este apoio, pretendemos oferecer suporte after marketing, com agilidade e dentro do mesmo fuso horário”.

Após a avaliação do grau de maturidade, será criado um relatório individual para cada negócio, com informações sobre a aderência aos requisitos necessários para obter a certificação RBAC nº 145 da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que regulamenta e classifica empresas como Organizações de Manutenção de Produto Aeronáutico.