Comandante do Corpo de Fuzileiros Navais repreende Pelosi: “NÃO TRABALHAMOS PARA VOCÊ!”

General recusou o pedido da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, em usar os Marines na segurança da posse de Joe Biden

Google News

O comandante do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos (Marines), general David H. Berger, recusou o pedido da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, em usar os Marines na segurança da posse de Joe Biden, no dia 20 de janeiro, contra partidários de Donald Trump.

Uma fonte do Pentágono, falando sob a promessa de anonimato, disse que Pelosi contatou o general na noite de segunda-feira (12), e pediu que ele enviasse 5.000 soldados para ajudar a garantir uma transição pacífica de poder e evitar uma repetição do dia 6 de janeiro.

O general Berger falou, segundo a fonte, não entender o por que que a presidente da câmara precisava de mais soldados para aumentar, a já impressionante força reunida de funcionários federais e estaduais.

Essa força inclui 15.000 militares da Guarda Nacional de Washington (DC), Delaware, Massachusetts e Rhode Island, e um número não revelado de agentes do FBI e DHS que chegaram em Washington na noite de domingo.

Pelosi disse que queria reforços “prontos para a batalha” porque “apoiadores radicais de Trump e pessoas malucas da conspiração de Qanon” que estariam prestes a convergir para DC. Ela pediu que ele reconsiderasse, argumentando que era dever patriótico do general reprimir levantes e garantir a ascensão de Biden ao Capitólio.

Sua declaração fez o general explodir, disse a fonte: “Não me dê sermões sobre patriotismo, Senhora Oradora. Servi este país com distinção por 40 anos. Eu derramei sangue por nossa nação. O que você, uma autoridade eleita em benefício próprio, fez por seu país? ” Disse o general Berger.

Pelosi o enfureceu ainda mais, dizendo que ele prestava contas ao Congresso: “Eu respondo apenas ao presidente e, pelo que entendi, Donald J. Trump ainda é presidente e comandante-em-chefe. Eu cumpro a Constituição como foi escrita, não a sua interpretação ”, advertiu o general Berger a Pelosi.

Conforme relato da fonte, “Quando sua tática de intimidação falhou em influenciar o general Berger, Pelosi tentou uma tática diferente: implorar e bajular”.

Pelosi afirmou que os “guerreiros de fim de semana” da Guarda Nacional estavam mal preparados para repelir um exército de “trumpistas loucos”, e que Fuzileiros Navais endurecidos pela batalha, no entanto, eram mais capazes de derrotar “agitadores”, disse ela. “Você tem os soldados mais bem treinados do mundo, e a América precisa deles”.

O general Berger não se comoveu. A única maneira de os fuzileiros navais serem destacados, disse ele, seria se o próprio presidente Trump emitisse essa ordem.

“Se você quer que ajudemos a combater seus apoiadores, sugiro que você ligue para ele e diga isso a ele. Se ele me mandar, eu o farei. Caso contrário, sugiro que você ouça com atenção as palavras que escapam de seus lábios rachados e venenosos; são equivalentes a traição. Não trabalhamos para você ”, disse o general Berger a ela.

  • Com informações Realrawnews
  • Tradução e Adaptação: DefesaTV


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: