Comandante do Exército, Gen Pujol, fala sobre ‘Exército Brasileiro, a LAAD e o desenvolvimento nacional’

General de exército Edson Leal Pujol, Comandante do Exército.

O Exército Brasileiro, com “Braço Forte e Mão Amiga”, ontem, hoje e sempre, prima pelo estado de permanente prontidão, com vistas à missão de contribuir para a garantia da soberania nacional, dos poderes constitucionais e da lei e da ordem, salvaguardando os interesses nacionais e cooperando com o desenvolvimento nacional e o bem-estar social.

Partindo da era industrial rumo à era do conhecimento, o processo de transformação da Força Terrestre prepara uma nova doutrina baseada em produtos de defesa tecnologicamente avançados e em profissionais altamente capacitados e motivados, sempre alinhados à visão de futuro do Exército. Assim, o grande objetivo é enfrentar, com meios adequados, os desafios do século XXI, respaldando as decisões soberanas do Brasil no cenário internacional.

O Plano e o Portfólio Estratégicos do Exército, balizados por nossa missão e visão de futuro, sinalizam as prioridades do direcionamento de esforços a serem empreendidas. Gostaria de destacar os programas a seguir, por serem excelentes indutores de capacidades, dotados de elevadas tecnologias e valores agregados:

  • ASTROS 2020 – em fase avançada de desenvolvimento do Míssil Tático de Cruzeiro (MT-300);
  • DEFESA CIBERNÉTICA – responsável pela instalação de capacidade militar para proteção de ativos informacionais, sendo imprescindível às operações militares na atualidade;
  • SISTEMA INTEGRADO DE MONITORAMENTO DA FRONTEIRA (SISFRON) – com projeto-piloto validado e avançando para a fronteira sul;
  • NOVA FAMÍLIA DE BLINDADOS SOBRE RODAS “GUARANI” – com alto nível de sofisticação, o projeto e a fabricação nacionais geram tecnologia, emprego e renda para a sociedade brasileira; além de outros importantes projetos, como AVIAÇÃO DO EXÉRCITO, DEFESA ANTIAÉREA e PROTEGER.

Ressalto, ainda, a relevância do tema “Inovação”, pelos efeitos de sua exponencial celeridade sobre o binômio “Defesa e Desenvolvimento” e de seus reflexos para a capacidade de dissuasão requerida pela estatura política e estratégica do Brasil.

Dessa forma, o Exército de Caxias, contando com secular legado que remonta aos tempos do Brasil-Colônia – com destaque para a Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho (1792), escola precursora do atual Instituto Militar de Engenharia (IME), e para a Fábrica de Pólvora Rodrigo de Freitas (1808), hoje, Indústria de Material Bélico (IMBEL) –, idealizou e implantou o Sistema Defesa Indústria e Academia de Inovação (SISDIA).

O SISDIA, baseado nos preceitos da Tríplice Hélice, foi desenvolvido com a finalidade de potencializar os esforços das áreas governamental, produtiva e acadêmica. Por meio da inovação tecnológica, o sistema contribui para o desenvolvimento nacional, objetivando as capacitações produtivas brasileiras de produtos e de sistemas de defesa duais, que atendam necessidades militares e possam ter outras aplicações.

Nesse contexto, a LAAD Defence & Security, consagrada Feira Internacional de Defesa e Segurança na América Latina, em sua 12ª edição, destaca-se como excelente oportunidade e ambiente propício para que o “ecossistema” de defesa interaja. São apresentados produtos e soluções inovadoras, nacionais e estrangeiras. A feira é um momento de debates de alto nível sobre temas relevantes relacionados à Defesa e à Segurança, em que podem ser conhecidas as capacidades da nossa Base Industrial, Científica e Tecnológica. Enfim, a LAAD permite estreitar laços e estabelecer parcerias.

Espero vê-los no Riocentro, no Rio de Janeiro, no período de 2 a 5 de abril. Desejo a todos uma excelente LAAD 2019!

  • Com informações do site E-Blog, Via Agência Verde-oliva


6 COMENTÁRIOS

  1. Fazendo um retrospecto em nossa historia, quem eu vejo nas horas mais cruciais, de dificuldade extrema, como esta que agora vivemos e, em circunstâncias de muito maior grau de dificuldade, ao ponto de enfrentamento em batalhas terríveis e sangrentas, quando não há mais escolha, ou se luta pela vida no combate aberto, ou se morre. Ou se defende a integridade territorial e, física própria, como da sociedade onde os indefesos e inexperientes habitam.
    Momentos em que o caos se instalou. Não somente nesta circunstância, mas no passamento da instrução, na educação aplicada, apoiada na disciplina e em metodos peculiares, que pra muitos é rigida e, que de rígida não tem nada, e sim nescessaria e extremamente bem suscedida nas suas disposições didáticas e pedagógicas. Poderia falar tanto mais..! Será preciso eu disser quem eu vejo nestas horas passando o olho, mesmo rapidamente, pela história..? Nós temos referencias institucionais do mais alto gabarito e, principalmente são as mesmas que não se curvam pra bandalheira ou perversão… E se não tivéssemos, se não pudéssemos contar com estas instituições.

  2. Votei no Bolsonaro, mas o Brasil precisa
    mesmo é de uma intervenção militar, por que quem pode governar este país com essa raça de políticos? Olha só como anda esse merda do Rodrigo Maia, que está se achando o todo poderoso!
    Espero que os militares, caso não deixem o Bolsonaro governar, tomem o poder e promovam as reformas, cortes de regalias, NA MARRA. Porque a democracia desses.políticos é o toma lá dá cá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below