CONSUB é parceira no consórcio Damen-Saab Tamandaré para construção das corvetas classe “Tamandaré”

blank

blankComo parte do Consórcio Damen/Saab Tamandaré, uma concorrência internacional da Marinha do Brasil para a compra de quatro navios militares de alta complexidade tecnológica, a CONSUB – Empresa Estratégica de Defesa foi selecionada para absorver a tecnologia do software do Sistema de Gerenciamento de Combate (CMS), bem como promover a integração dos sensores e armamentos das futuras corvetas. A empresa também será a responsável pela manutenção do sistema durante todo o período de vida dos navios, caso o consórcio vença o certame e, como parte do “off-set” solicitado pela Marinha, a CONSUB realizará a modernização da Corveta “Barroso”, retirando equipamentos antigos, instalando os novos da Saab e realizando todos os testes de aceitação no porto e no mar.

A CONSUB associou-se à Saab após verificar a seriedade com que a empresa sueca planejava a sua participação no certame e a forma como tratava os assuntos sensíveis para apresentação de uma proposta consistente para o Sistema de Combate das corvetas. Para a empresa, o Projeto “Tamandaré” significa absorção de novas tecnologias, o que manterá a empresa no “estado da arte” em sua maior capacidade que são os Sistemas de Comando e Controle Tático e de Armas. O projeto também permitirá a revitalização da equipe de instalações mantendo a companhia apta a instalar novos sistemas nos demais navios da Marinha.

A CONSUB entende que o consórcio está bem colocado para vencer o certame e oferecer à Marinha do Brasil as melhores corvetas para escolta de unidades de maior valor, patrulha do mar territorial e atendimento a compromissos internacionais. Parceira da Marinha há mais de 20 anos e referência no desenvolvimento de soluções em tecnologia para sistemas navais no Brasil, a CONSUB é a única empresa brasileira que produziu, instalou e testou o Sistema de Comando e Controle Tático e de Armas, SICONTA, em operação vigente nos navios da esquadra brasileira.

A Consub é classificada como Empresa Estratégica de Defesa (EED) pelo Ministério da Defesa brasileiro. A certificação faz parte da Estratégia Nacional de Defesa do Brasil, que visa a modernização e o fortalecimento das Forças Armadas Brasileiras, ou seja, a segurança do país. Para obter o título, a empresa passou por avaliações criteriosas e comprovou dispor de conhecimento de tecnologias essenciais para a manutenção da soberania nacional. O trabalho das futuras Corvetas será realizado entre 2019 e 2027 e as corvetas estão previstas para serem construídas no estaleiro Wilson&Soons no Guarujá. Já a modernização da “Barroso” deve ser realizada nas dependências do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here