Convertendo o KC-390 em Gunship: Estudo de Viabilidade e Hipóteses de Emprego

Imagem: Divulgação Embraer

O presente trabalho tem por objetivo discutir as possibilidades de desenvolvimento de uma versão gunship (canhoneira aérea) da aeronave KC-390 da Embraer, discorrendo sobre suas potencialidades e hipóteses de emprego no Brasil (mediante as diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa) e no exterior, bem como analisando o mercado externo para vendas da aeronave.

Foram utilizados como fontes documentos produzidos pelo governo, artigos de autoria de especialistas militares e civis, além de matérias jornalísticas nacionais e estrangeiras.

Como metodologia, optou-se por recriar um perfil histórico e operacional dos gunships, detalhando os principais modelos em operação na atualidade, para posteriormente discorrer sobre o KC-390 e sua eventual versão gunship “AC-390”.

A seguir, foi feita criteriosa análise das hipóteses de emprego da aeronave dentro das diretrizes de defesa brasileiras e um estudo do mercado para vendas externas.

Concluiu-se que o emprego de tal aeronave é pertinente com as preocupações e planejamento nacional de defesa, e que o desenvolvimento da versão gunship do KC-390, especialmente quando oferecida como opção dentro de uma plataforma multimissão, pode ter sucesso em vendas no exterior.

Autores do presente artigo:

  1. Júlio César Guedes Antunes (Mestrando em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professor do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) – Campus Montes Claros);
  2. Camila Rocha Lopes (Acadêmica do 1º período do bacharelado em Ciência da Computação do IFNMG – Campus Montes Claros);
  3. Gabriel Lopo Silva Ramos (Acadêmico do 1º período do bacharelado em Ciência da Computação do IFNMG – Campus Montes Claros);
  4. Igor Alberte Rodrigues Eleutério (Acadêmico do 1º período do bacharelado em Ciência da Computação do IFNMG – Campus Montes Claros);
  5. José Francisco Clementino de Jesus (Acadêmico do 5º período do bacharelado em Ciência da Computação do IFNMG – Campus Montes Claros); e
  6. Pedro Abreu Maia (Acadêmico do 5º período do bacharelado em Ciência da Computação do IFNMG – Campus Montes Claros).

 



1 COMENTÁRIO

  1. Bom dia.
    Infelizmente não consegui ler devido ao formato em que é apresentado. Porque não disponibilizam o PDF para que pessoas com algum problema visual também possam ler.

    Obrigado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below