Desinformação: Os principais mitos sobre OTAN e COVID-19

blank

Google News

Devido à grande quantidade de informações de fontes e intenções duvidosas, a NATO/OTAN divulgou um exclarecimento ao público com algumas dos principais “mitos” que circulam na internet mundial e redes sociais sobre a atuação da OTAN junto aos aliados na Europa.

Devemos nos atentar aos fatos que desde o inìcio da crise do Covid19 a OTAN e seu principal integrante, os EUA através de suas Forças Armadas na Europa foram um dos principais vetores de ajuda aos membros mais atingidos da aliança, como foi o caso da Itália e outros.

Infelizmente os meios de comunicação de massa, desde os mais simples aos mais abrangentes nas redes de radio difusão e TV não se atentam para os fatos reais, mesmo com toda a disponibilização de informação por parte da OTAN e seus aliados.

Mito 1: A crise do COVID-19 provocará o fim da OTAN

Fato: Por mais de 70 anos, a OTAN mantém nossos países e nosso povo em segurança, adaptando-se continuamente aos novos desafios.
A OTAN foi criada para lidar com crises, e estamos trabalhando para garantir que essa crise de saúde não tornar-se uma crise de segurança.
Como em nossas sociedades, alguns de nossos funcionários civis e militares testaram positivo para COVID-19, mas o principal trabalho político e militar da OTAN continua.
Nossa capacidade de conduzir operações não foi prejudicado. Nossas forças permanecem prontas e nossas atividades cruciais continuam, inclusive em nossa grupos de batalha multinacional nos paìses do leste da Aliança, nossas missões marítimas e nossas missões do Afeganistão ao Kosovo.
Continuamos a oferecer dissuasão e defesa credíveis e eficazes, ao mesmo tempo em que apoiamos projetos nacionais e internacionais e esforços para lidar com a pandemia.
Os Aliados da OTAN continuam a apoiar-se mutuamente na resposta ao COVID-19 e permaneçam juntos em solidariedade.

Mito 2: A OTAN não está apoiando os Aliados na luta contra o COVID-19

Fato: A OTAN está fazendo o seu papel para apoiar os Aliados na luta contra COVID19. Isso inclui facilitar o transporte aéreo de equipamentos médicos cruciais,
suprimentos e equipamentos, atendendo pedidos de suporte e com ofertas aos aliados e parceiros.
Muitos aliados, incluindo a República Tcheca, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Macedônia do Norte, Romênia, Eslováquia e a Espanha se beneficiaram desse apoio que começou logo no inicio da crise.
A pedido dos Aliados, o principal comandante da OTAN, General Wolters, está agora coordenando o apoio militar necessário para combater a crise, usando caminhos rápidos no espaço aéreo da Europa para voos militares que transportam suprimentos médicos.
Em toda a Aliança, nossos profissionais e forças armadas altamente treinadas estão desempenhando um papel vital no apoio a respostas para as necessidades civis.
Isso inclui logística e planejamento, hospitais de campanha, transporte de pacientes, desinfecção de áreas públicas e postos de fronteira.
Com apoio dos Aliados, a OTAN continua cumprindo sua missão principal: fornecer segurança e defesa para quase 1 bilhão de pessoas.

Mito 3: COVID-19 é uma arma biològica criada pela OTAN

Fato: A OTAN é uma Aliança defensiva e serve para proteger nossos quase 1 bilhão de cidadãos. COVID-19 é um zoonótico, conforme confirmado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), todas as evidências disponíveis sugerem que o SARSCoV-2, o coronavírus causador do COVID-19, tem uma origem natural em animais e não é um vírus construído.
Segundo a OMS, esse novo vírus e a doença em si eram desconhecidos antes do início do surto que se iniciou em Wuhan, na China, em Dezembro de 2019.
Uma análise recente da sequência do genoma de SARS-CoV-2 não encontrou evidências de que o vírus estivesse fabricado em laboratório ou de outra forma projetada.

Mito 4: Exercícios da OTAN espalham vírus COVID-19

Fato: Desde o início do surto, a OTAN implementou medidas robustas para limitar a propagação do vírus e minimizar os riscos para o nosso pessoal e as comunidades a que servem.
Como nos comunicamos publicamente, alguns dos exercícios da OTAN e dos Aliados foram modificados, postergados ou cancelados. Estas são precauções sensatas, porque a segurança dos nosso pessoal é uma prioridade.
O pessoal médico militar da OTAN permanece vigilante. Eles estão monitorando qualquer potencial impacto para as tropas da OTAN destacadas nas operações.
A OTAN continua a avaliar a situação e tomar todas as medidas necessárias para mitigar a propagação do vírus.

Mito 5: A OTAN prioriza os gastos com defesa (atividade militar) em detrimento da saúde

Fato: Os Ministros das Relações Exteriores da OTAN e o Secretário Geral da OTAN manifestaram sua simpatia e solidariedade com todos os afetados pelo COVID-19, com os profissionais de saúde e outros na linha de frente e com todos aqueles que estão enfrentando incertezas ou dificuldades financeiras.
Nos países democráticos, a definição do orçamento do estado é um processo político complexo que reflete as necessidades sociais e as prioridades políticas nacionais.
Em tempos de crise, nossas tropas podem desempenhar um papel público vital. Como estamos vendo agora, as forças armadas aliadas são uma parte crucial da
respostas ao COVID-19, ajudando a apoiar os esforços civis com logística e planejamento, hospitais de campo, transporte de pacientes, desinfecção de áreas públicas e passagens de fronteira.
Sua saúde e segurança também são essenciais manter nossa prontidão para impedir ameaças e defender nossas nações. É importante que continuemos a investir
em nossas forças armadas, não à custa da saúde pública, mas para manter nosso povo e nossas nações em segurança.

Link para a publicação original:

https://www.nato.int/nato_static_fl2014/assets/pdf/2020/4/pdf/2004-Factsheet-Russia-Myths-COVID-19_en.pdf

Public Diplomacy Division (PDD) – Press & Media Section
Tel.: +32(0)2 707 5041
E-mail: [email protected]
Follow us http://@NATOpress
http://www.nato.int



Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: