Dezenas de aeronaves “ex-AAF” e suas tripulações conseguiram fugir para o Uzbequistão

blank
Imagem ilustrativa com foto de Nardisoero.

Enquanto multidões invadem o aeroporto de Cabul, os militares afegãos de todos os postos, patentes e graduações encontram outra maneira de escapar do país sob o controle do Taleban. Mesmo que o Talebãn esteja prometendo anistia total e irrestrita aos militares e agentes governamentais em troca de lealdade e trabalho na manutenção do “novo governo”, ainda assim muitos estão sendo presos e até mesmo fuzilados, o que mostra a falta de palavra costumeira do Talebã…

Em 14 e 15 de agosto, surgiram relatos que pelo menos 22 aeronaves militares e 24 helicópteros militares da Força Aérea Afegã entraram no espaço aéreo do Uzbequistão. 585 soldados afegãos teriam cruzado a fronteira em dois dias. Outros tantos também teriam conseguido fugir para o Irã.

Nas últimas informações encontradas na imprensa do Uzbequistão e outros em em inglês, existiam relatos de pelo menos 46 aeronaves “ex-AAF” (Afghanistan Air Force) que teriam conseguido pousar no Termez airport.

blank
Fonte: https://www.ndtv.com/world-news/46-afghan-aircraft-forcibly-landed-in-country-says-uzbekistan-2511949

Os números foram relatados pela Procuradoria-Geral da República do Uzbequistão via canais de redes sociais e do Telegram, mas a mensagem foi posteriormente apagada, segundo a mídia.

No dia 15 de agosto, três aeronaves militares afegãs A-29 Super Tucano solicitaram aterrissagem no aeroporto de Khanabad, no Uzbequistão. Uma aeronave afegã e um MiG-29 da Força Aérea do Uzbequistão colidiram e caíram no distrito de Sherabad, na região de Surkhandarya, de acordo com a mesma mensagem no Telegram.

O acidente ocorreu quando Mig-29 estava interceptando um dos A-29 ex-AAF. Os pilotos desses aviões conseguiram ejetar e pousar em pára-quedas.

Essa grande fuga de pilotos, tripulantes e outros militares, conseguiu êxito pois já estaria planificada e ensaiada a alguns meses, pois muitos já sabiam da queda rápida do governo afegão e da garantia de asilo nos EUA e outros países para os militares que trabalharam em ações especiais contra o Talebã durante a guerra.

Porém, nenhuma filmagem das aeronaves “ex-AAF” em vôo ou em solo nas bases do Uzbequistão foi publicada ainda para provar os relatos e as as reportagens divulgadas por diversas mídias internacionais.

Outro acidente ocorreu no Uzbequistão na mesma noite. Outra aeronave da Força Aérea Afegã caiu após entrar no espaço aéreo do país na fronteira com o Afeganistão e as causas da queda não foram ainda divulgadas. Durante algum tempo circulou um boato que essa aeronave era suspeita de perseguir os que estariam em fuga, com ordens do Talebã para efetuar o abate dos considerado fugitivos/desertores, e assim as defesas antiaéreas do Uzbequistão teriam abatido a aeronave.

O Ministério da Defesa do Uzbequistão informou que a aeronave foi interceptada por forças de defesa aérea que impediram uma tentativa da aeronave de violar a fronteira. Aconteceu no mesmo distrito de Sherabad. Como resultado do incidente, dois militares a bordo foram ejetados e foram levados para o hospital, um deles em estado grave.

Outros 158 cidadãos do Afeganistão, incluindo militares e civis, cruzaram recentemente o rio no distrito fronteiriço de Termez.

Numerosos equipamentos e veículos militares foram abandonados na passagem da fronteira. O vídeo a seguir mostra a ponte sobre o rio Amu Darya, onde os militares afegãos tentaram deixar o país.

O Uzbequistão não é o único destino dos refugiados do Afeganistão. Nos últimos meses, todos os países vizinhos enfrentaram um aumento no número de cidadãos afegãos que cruzavam as fronteiras, legal e ilegalmente.

Dois aviões ( provavelmente cargueiros C-130) com militares do Afeganistão pousaram recentemente no Tajiquistão. A aeronave foi autorizada a pousar no aeroporto da cidade de Bokhtar após o envio dos sinais SOS. De acordo com os relatórios, mais de 100 militares afegãos estavam a bordo.

O site do Ministério da Defesa e outros canais de comunicação do Uzbequistão não publicaram nenhuma informação até o momento.

blank
Fonte: https://mudofaa.uz/
  • Com informações AFP, Uzbekistan MoD, RIa Novosti, TASS, NDTV via redação Orbis Defense Europe.