Dia do Piloto de Helicóptero Brasileiro

Por: Yam Wanders
A comunidade aeronáutica brasileira comemora hoje, dia 24 de fevereiro, o dia do piloto de helicóptero no Brasil, pois em um dia como hoje em 1972 (uma terça-feira), um grupo de 12 pilotos de helicóptero realizou umas das missões mais difíceis da história dos resgates em tempos de paz. Enquanto um incêndio de grandes proporções destruia o edifício Andraus,no centro de São Paulo (na Avenida São João), esses pilotos corajosos conseguiram evitar uma tragédia incomensurável, enfrentando as mais adversas condições de ventos e visibilidade, efeturando o resgate de aproximadamente de 350 pessoas. Esse dia de heroísmo na história da aviação brasileira e sul-americana deu origem ao Dia do Piloto de Helicóptero no Brasil.

Uma das imagens mais divulgadas na época, Olendino Francisco de Souza, piloto do Governo do Estado de São Paulo, soube do incêndio por uma estação de rádio e se deslocou para o local da ocorrência. Pilotou o helicóptero PP-ENC, um Bel 204B. Foto: Agência Estado via Site Piloto Policial.
 O grande heroísmo dos pilotos dos helicópteros que se engajaram nas ações de resgate no fatídico incêndio do edifício Andraus foi o marco de  inspiração para esse dia de comemoração e lembrança. 
Muitos deles, pilotos civis, e outros, ex-militares da Marinha do Brasil e FAB que trabalhavam na Aviação Civil. Como fato histórico, a Polícia Militar, bem como a Polícia Civil de São Paulo, somente receberiam seus helicópteros 12 anos depois dessa tragédia.
Os pilotos participantes da ação
Participaram, efetivamente, do resgate dos sobreviventes do Andraus vários helicópteros, a saber:
Imagem: Arquivos Jornal Estado de São Paulo, via site Piloto Policial.
PP-EES – Hiller FH-1100 da COMASP – Piloto Walmyr Sayão
PP-ENC – Bell 204 – do Governo do Estado de São Paulo-pilotos Coronel Gilson e Comandante Souza
PT-HCP – da Anhembi – piloto Judimar Picolli
PT-HDH – Bell 206 – da AUDI – piloto Cap. Portugal Motta
PP-HBN – Bell 206 da PIRELLI – piloto Carlos Zanini
PP-HBM – Hughes 300 da VOTEC  – piloto Leo Waddington Rosa
PT- HCM – Hughes 300 – piloto Silvio Monteiro
PT-HCB – F28A – Anhembi Aviação – piloto Cláudio Finatti
PT-HCQ- F-28A – Gabriel Gonçalves – piloto Sergio Bering
PP-MAB – Prefeitura Municipal – piloto Cel. Fonseca – PT-HDC
Bell 206 – Papel Simão – piloto Cel. Telmo Torres Aires.
O Incêndio
 
A possível causa do incêndio em 1972 teria sido uma sobrecarga no sistema elétrico. O fogo iniciou-se no segundo pavimento e consumiu o prédio, que reunia escritórios empresariais, entre eles os das multinacionais Henkel e Siemens. Hoje recuperado, abriga repartições públicas e é ainda conhecido como “Prédio da Pirani”, por à época da tragédia abrigar em seus primeiros andares, térreo e subsolos uma popular loja hoje não mais em atividade.
A tragédia do Andraus foi na época, a primeira grande tragédia transmitida ao vivo pela televisão brasileira, e as cenas horríveis de pessoas se jogando das janelas do edifício chocaram o Brasil e o mundo.
Outra imagem famosa do dia trágico, mas heróico. Cláudio Finatti da Anhembi Aviação estava no Campo de Marte na hora do incêndio, pilotando o helicóptero PT-HCB, um Enstron F28-A. Foto: Agência Estado via site Piloto Policial.
Vítimas
Entre as vítimas fatais, dois executivos da Henkel: Paul Jürgen Pondorf, presidente da empresa, e Ottmar Flick. Também foi destruído seu escritório central. A maioria dos sobreviventes da tragédia, impossibilitados de utilizar as escadas de emergência, optaram por subir ao último pavimento do edifício, onde ficaram até que os bombeiros controlassem o fogo. Foram posteriormente resgatados de helicóptero pelo piloto Olendino de Souza.
Neste incêndio, morreram 16 pessoas e 330 feridas, porém, graças ao resgate aéreo, houve vários sobreviventes. para efeitos de comparação, no incêndio do Edifício Joelma, em 1974, 188 vítimas pereceram, porque o Joelma não tinha escadas de incêndio nem uma laje no último andar capaz de suportar o pouso de um helicóptero.
AS HOMENAGENS (*)
Em função desse feito heróico, todos os pilotos, policiais militares, bombeiros, etc que participaram dos salvamentos foram exaustivamente homenageados e não era para menos. Assim, foram oferecidas algumas homenagens a esses heróis, embora não se limitem somente a essas:
Troféu “Mercimento Rotario”, outorgado pelo Rotary Club de São Paulo em 08 de março de 1972, a 18 heróis que participaram no salvamento do Edifício Andraus;
Láurea máxima oferecida pela Flight Safety Fundation, com sede em Washington aos pilotos, entre os dias 16 e 18 de outubro de 1972;
Prêmio oferecido pela Helicopter Association of America em Las Vegas, EUA, em 1973;
Medalha de Mérito Santos Dumont, entregue em 20 de Julho de 1972, em solenidade na Base Área de São Paulo, em Cumbica;
Homenagem na Semana da Asa em Santos, 19 de outubro de 1981: o Comandante Cláudio Finatti recebeu um cartão de prata pelo feito no Edifício Andraus e Joelma;
Medalha Anchieta e Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo entregue em 26 de outubro de 1972, pela Câmara municipal de São Paulo, etc.
Medalha de Bravura da Cidade de São Paulo entregue no dia 30 de Janeiro de 1973 no Museu de Arte de São Paulo, Assis Chateaubriand, com a presença do Governador de Estado Laudo Natel e do Prefeito Figueiredo Ferraz;
 
Saiba mais sobre os fatos com a excelente matéria do Coronel PM RR Eduardo Alexandre Beni no site Piloto Policial acessando os links abaixo:
Referências e fontes:
– Matérias via Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo.
– Jornal Folha de São Paulo, Caderno 2, pg. 14, de 05 de março de 1972, pelos repórteres: Isabel Dias de Aguiar, Julio Moreno, Luís Carlos Ventura e Renato Russo, “A história completa do incêndio Andraus.”;
-(*) As homenagens. Parte do texto da matéria original do site Piloto Policial, link da matéria original: https://www.pilotopolicial.com.br/os-pioneiros-do-salvamento-o-incendio-do-edificio-andraus/


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here
Enter the text from the image below