Ejército Argentino realiza cerimonia para recebimento de novas viaturas

Durante o evento, um veículo blindado de combate Guarani, do Exército Brasileiro (EB) foi apresentando

blank

A Diretoria de Arsenais do Ejército Argentino, realizou nesta sexta-feira (04) cerimônia para entrega de mais de 70 veículos novos e equipamentos modernizados a força terrestre portenha, na região de Boulogne Sur Mer.

Entre os veículos estão: caminhões Oshkosh 6×6 com reboques, caminhões Volkswagen 6×4 e 4×2, ambulâncias Toyota Hylux 4×4, micro-ônibus Mercedes Benz com capacidade para 19 pessoas, motocicletas, caminhões Unimog 416 e veículos M-113 modernizados para a versão A2.

O ministro expressou a satisfação com a participação da Fábrica Argentina de Aviones (FAdeA) na modernização dos helicópteros AB 206; e da empresa INVAP no desenvolvimento de radares para as três Forças.

“Este processo de recuperação de capacidade permitirá às Forças Armadas cumprirem de forma adequada a missão prescrita pela Constituição Nacional”, disse o ministro e previu: “Em dez anos teremos uma indústria de defesa capaz de suprir as exigências do sistema nacional e com exportação capacidades ”.

blankA cerimônia foi presidida pelo ministro da Defesa, Agustín Rossi, acompanhado do embaixador da Argentina no Brasil, Daniel Scioli; o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general de brigada Juan Martín Paleo; o Chefe do Exército, Major General Agustín Cejas. Da mesma forma, estiveram presentes várias autoridades militares e civis e convidados especiais.

Sobre o guarani

O Veículo, que é fabricado pela Iveco Defense Vehicules Company do Brasil, e seu motor Cursor 9 é fabricado na fábrica da Iveco Córdoba na Argentina, foi importado temporariamente para realização de Avaliação Técnica Operacional.

blankO veículo que tem capacidade de navegação, com tração 6×6 e pesa 18 toneladas, tem 6,9 metros de comprimento e 2,70 metros de largura e tem capacidade para transportar 11 pessoas. Também é equipado com um sistema de armas Remax controlado remotamente, que inclui uma metralhadora calibre 12,7 mm. Pode atingir uma velocidade máxima de 90 km / h.

Nesse ambiente de cooperativismo com os países da região, o ministro da Defesa falou: “A possibilidade de nosso Exército adquirir o mesmo veículo blindado Guarani que o Brasil possui e produz é um condimento geopoliticamente estratégico”.