Em resposta aos lançamentos de mísseis norte-coreanos, Japão pretende reforçar defesa antiaérea

blank

O ministro da Defesa do Japão, Takeshi Iwaya, afirmou que o país precisa melhorar seu sistema de defesa antiaérea em meio aos recentes lançamentos de mísseis da Coreia do Norte.

“A Coreia do Norte está trabalhando para melhorar as suas capacidades e expandir os tipos de armas disponíveis. É preciso ser introduzido um sistema de defesa antimísseis que possa responder a todos os tipos de ameaças”, declarou Iwaya à agência Kyodo.

Militares sul-coreanos informaram que a Coreia do Norte, realizou novos disparos de “projéteis não identificados” de curto alcance da província de Hamgyeong-Namdo, junto ao mar do Japão (também conhecido como mar do Leste), na madrugada dessa sexta-feira (2).

Os projéteis voaram cerca de 220 km, atingindo uma altitude máxima de 25 km. Militares sul-coreanos e norte-americanos acreditam que a Coreia do Norte possa estar testado um novo tipo de míssil balístico de curto alcance, com características semelhantes às dos testados em 31 de julho.

Dificuldade de interceptação

Os lançamentos da Coreia do Norte nesta sexta-feira foram o terceiro em uma semana. Na quarta-feira (31), a Coreia do Norte testou dois mísseis que voaram cerca de 250 km e caíram no mar do Japão.

Além do mais, Coreia do Norte realizou testes de lançamento de dois mísseis balísticos no dia 25 de julho. Vale ressaltar que o ministro da Defesa japonês, declarou que a trajetória dos mísseis testados pela Coreia do Norte em julho, dificulta a interceptação com os sistemas de defesa antimísseis existentes no país.

Por sua vez, a Agência Central de Notícias da Coreia relatou que o líder norte-coreano Kim Jong-un coordenou os testes de lançamento de novos mísseis guiados. O Conselho de Segurança das Nações Unidas proibiu a Coreia do Norte de desenvolver e lançar mísseis balísticos sob a ameaça de sanções ainda mais severas.

  • Com agências internacionais

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here