Embaixada do Brasil em Washington desmente fake news do The Washington Post

A carta desmente a reportagem do jornal norte-americano The Washington Post sobre a atuação do Exército Brasileiro

blank

A Embaixada do Brasil em Washington (DC) divulgou no dia 06 de janeiro, uma carta em que desmente a reportagem do jornal norte-americano The Washington Post sobre a atuação do Exército Brasileiro (EB), sob o comando do governo de Bolsonaro, no combate as queimadas e ao desmatamento na Amazônia.

A carta foi direcionada ao editor do jornal, Jamie Riley e cita uma reportagem publicada no portal no dia 04 de janeiro e nos jornais impressos no dia 05, com o título: “Bolsonaro enviou soldados para a Amazônia para conter o desmatamento. Veja como o esforço falhou”. A reportagem acusa o Exército Brasileiro de ser incapaz de realizar operações realmente eficazes contra o desmatamento.

“É desconcertante ler que os militares brasileiros carecem de experiência e organização para combater o crime ambiental na Amazônia, quando, na verdade, o oposto é verdadeiro: as Forças Armadas possuem profundo conhecimento daquele terreno, onde estiveram historicamente presentes”, diz trecho do texto assinado pelo diplomata brasileiro, Nestor José Forster Junior.

A matéria do The Washington Post é assinada pelo correspondente do jornal no Brasil, Terrence McCoy, e pela jornalista brasileira Heloísa Traiano.

Entre as acusações presentes no corpo da notícia está a que Bolsonaro e seu governo são os responsáveis pela ‘destruição’ da Amazônia:

“As taxas de desmatamento aumentaram sob o governo do presidente Jair Bolsonaro, o populista de direita se afastou das agências ambientais que ajudaram a reduzir essas taxas a níveis históricos há uma década. Em vez disso, Bolsonaro, um ex-capitão do exército que defende a abertura da Amazônia para os negócios, deu poder e despachou os militares para a Amazônia,” afirmaram os jornalistas ao criticarem todo o trabalho realizado pelo Exército no ano de 2020.

Ao desmentir toda a falsa narrativa do jornal americano, a Embaixada Brasileira relembrou as operações do Exército Brasileiro, citando as Operações Verde Brasil 1 e 2, a Operação Ágata, a Operação Covid-19 e a Operação Acolhida.

“Essas operações exigem logística sofisticada e estão sendo realizadas de forma eficiente”, disse a Embaixada.

“A Embaixada fica à disposição do The Washington Post para esclarecer outros aspectos da realidade brasileira e ajudar seu jornal a fornecer informações de maior qualidade aos seus leitores”, completou o embaixador Nestor Forster Jr.

Leiam a carta na integra:

blank

  • Por: Bruna Lima, Terça Livre