Embaixador italiano em Kinshasa morto em ataque na República Democrática do Congo

blank
Imagem ilustrativa com foto via ONU/MONUSCO.

Google News

O Ministério das Relações Exteriores da Itália confirmou, segunda-feira, 22 de fevereiro, a morte do seu embaixador na República Democrática do Congo (RDC), Luca Attanasio, informando que viajava com um comboio das Nações Unidas pelo leste do país. Um soldado italiano e seu motorista também morreram.

O presidente italiano Sergio Mattarella denunciou-o “o ataque covarde” que ceifou a vida de seu embaixador Luca Attanasio, 43, bem como de um soldado italiano, Vittorio Iacovacci e seu motorista. Luca Attanasio estava no cargo desde o início de 2018.

“É com profunda tristeza que o Ministério das Relações Exteriores da Itália confirma a morte, hoje (segunda-feira) em Goma, do Embaixador da Itália na República Democrática do Congo , Luca Attanasio, e de um soldado”.
“A República Italiana está de luto por seus servidores do Estado que perderam a vida no exercício de suas funções”, acrescentou, deplorando o “ato de violência” perpetrado enquanto viajavam em automóvel em um comboio da MONUSCO, a missão das forças de paz na RDC.

O embaixador italiano em Kinshasa foi morto a tiros em um atentado na segunda-feira durante uma visita perto de Goma, no leste da República Democrática do Congo e “morreu imediatamente de seus ferimentos”, disse à AFP uma fonte diplomática de alto escalão em Kinshasa.

Gravemente “baleado no abdômen”, o embaixador foi evacuado para um hospital em Goma “em estado crítico”, disse a fonte diplomática à AFP.

“As Forças Armadas congolesas estão vasculhando para descobrir quem são os agressores”, disse o exército congolês.

Retorno antecipado a Roma do chefe da diplomacia italiana

O ataque a este comboio do PMA ocorreu no norte de Goma, capital da província de Kivu do Norte, que é atormentada pela violência de grupos armados há mais de 25 anos.

Esta região abriga o Parque Nacional de Virunga, uma joia natural, turística e ameaçada, que também é palco de conflitos nesta região do Kivu do Norte, onde dezenas de grupos armados disputam o controle das riquezas do solo e do subsolo .

Criado em 1925, o Parque Nacional de Virunga é um Patrimônio Mundial da UNESCO. Esta reserva estende-se por 7.769 km², desde Goma até ao território do Beni, entre montanhas e florestas.

O parque é guardado por 689 guardas-florestais armados, pelo menos 200 deles foram mortos em serviço, de acordo com seus funcionários.

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, que se encontrava em Bruxelas para um encontro com seus homólogos europeus, anunciou seu retorno antecipado a Roma.

Sobre a MONUSCO

A Missão de Estabilização da Organização das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUSCO) substituiu uma operação anterior de manutenção da paz da ONU – a Missão da Organização das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUC) – em 1º de julho de 2010.

A nova missão foi autorizada a usar todos os meios necessários para cumprir o seu mandato relativo, entre outras coisas, à proteção de civis, pessoal humanitário e defensores dos direitos humanos sob ameaça iminente de violência física e apoiar o Governo da RDC em seu esforços de estabilização e consolidação da paz.

Mais informações: https://peacekeeping.un.org/en/mission/monusco

  • Com informações AFP, France 24 e Reuters via redação Orbis Defense Europe.


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

blank

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio:

Comments are closed.