Escola de Especialistas de Aeronáutica oferta 27 diferentes áreas profissionais técnicas

Subscribe
Voiced by Amazon Polly

A Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), mais conhecida como o “Berço dos Especialistas”, oferece 27 diferentes áreas profissionais e algumas, não tão conhecidas, são muito importantes para o cumprimento da missão da Força Aérea Brasileira (FAB). Confira algumas dessas especialidades que atrelam a profissão técnica à carreira militar. A especialidade de Estrutura e Pintura é uma delas. O especialista nessa área executa reparos, reforços e substituições de peças e elementos de estruturas em metal, plásticos e similares, de aeronaves e turbinas.

Também é responsável por inspecionar peças e definir seu reaproveitamento, moldar partes metálicas, além de supervisionar e inspecionar a lavagem e a limpeza de aeronaves. Ele também fabrica peças, executa  estampagem e dobragem, opera ferramentas especiais e equipamentos de galvanoplastia e faz tratamento térmico e a frio em ligas metálicas, selagem e rebitagem. O Sargento Eduardo Oliveira exerce essa especialidade no Grupo Logístico (GLOG), da Ala 8, em Manaus, há cinco anos. O militar atua nos retoques de pintura nas aeronaves (F-5, C-98, C-97, UH-60 e C-105), repintura de algumas peças que se desgastam, reparos em fibra e resina em carenagens e pás dos aviões. 

“A especialidade é bastante importante para a manutenção da aviação, visto que atuamos na prevenção de desgaste e corrosão de peças e carenagens (com a lavagem e a pintura) além de atuar na parte de reparos estruturais ou até mesmo a confecção de uma peça nova, mantendo assim as aeronaves prontas para realizarem as missões”, explica o militar. Outra especialidade é o Serviço de Informações Aeronáuticas. O militar dessa área é responsável por todas as tarefas de prestação de serviço de informações aeronáuticas, de acordo com normas e métodos recomendados pela Organização de Aviação Civil Internacional (OACI).

É ele quem coleta, seleciona e compila os dados necessários à atualização de publicações contendo informações aeronáuticas, além de preparar boletins de informações prévias e planos de voo; propõe as correções necessárias para garantir a regularidade, a eficiência e a segurança dos voos. O manuseio e a interpretação dos diversos tipos de cartas aeronáuticas também são funções deste especialista. A Sargento Jéssica de Almeida é especialista em informações aeronáuticas e realiza seu trabalho no Centro de Informações Aeronáuticas (C-AIS), no Destacamento de Controle do Espaço Aéreo Eduardo Gomes (DTECEA-EG), em Manaus (AM). “Nosso serviço é de extrema importância, pois é onde se inicia todo planejamento para que os voos sejam realizados. Nós filtramos todas as informações que são encaminhadas aos órgãos de tráfego aéreo que repassam aos pilotos durante os voos”, conta a sargento. 

Já o especialista em Meteorologia realiza o planejamento das missões aéreas que é indispensável à segurança de voo e coordenação do tráfego aéreo. O profissional dessa especialidade, após a formação, trabalha em estações de observação meteorológica de superfície e de altitude, além de estações de radar meteorológico e de recepção de imagens de satélites. É responsável por medir, computar, coletar e estimar valores de parâmetros meteorológicos e de codificar, decodificar e registrar mensagens meteorológicas e preparar informações meteorológicas e sumárias climatológicas para o planejamento e a segurança de voo.

O aluno Caio de Castro cursa a terceira série da EEAR na área. “O especialista em meteorologia repassa as informações para o piloto para que ele siga a rota planejada com segurança ou possa refazê-la devido às condições climáticas, garantindo, assim, a segurança do voo. Essa especialidade também apoia os órgãos de busca e salvamento quando ocorre algum acidente aéreo. As condições meteorológicas são fundamentais para que a equipe faça as buscas necessárias”, detalha.

Dia do Especialista é celebrado no dia 25 março

No dia 25 de março, comemora-se o Dia do Especialista. A data marca a criação da Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), em 1941 na Ponta do Galeão, Ilha do Governador (RJ). Há 78 anos o Berço dos Especialistas prepara militares para as mais diversas funções. Existem duas formas de ingresso: o Curso de Formação de Sargentos (CFS), direcionado para o candidato com ensino médio completo, e o Estágio de Adaptação à Graduação de Sargentos (EAGS). Atualmente o complexo de ensino técnico-militar ocupa uma área total de 10 milhões de metros quadrados composta por um corpo docente formado por 180 professores, entre civis e militares.

Além disso, no Corpo de Alunos, como é chamada a unidade que abriga os estudantes dos cursos, uma equipe de professores e militares auxilia os jovens na preparação física e na instrução específica. A EEAR reúne o maior complexo de ensino técnico da América Latina. Localizada no Vale do Paraíba, em Guaratinguetá, a 176 km da cidade de São Paulo, a Escola abre todos os anos cerca de 750 vagas para jovens que já possuem diploma de nível técnico ou que desejam cursar uma das 27 diferentes áreas profissionais.

  • Com informações do Centro de Comunicações Social da Aeronáutica

5 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente a FAB não faz como o glorioso exército, que além de valorizar seus militares da ESA e similares, com diploma de nível superior (logística) , os promove até T.Cel sem seleção interna. Na FAB a expectativa de carreira é Sub Oficial a não ser que passe por exames de seleção dificilímos. Diga-sem contar a carga horária dos cursos FAB que são maiores e em regime de internato se comparar com os companheiros de ESIE.
    VIVA O EXÉRCITO.

  2. Verdade.
    Sou da FAB, especializado em Guarda e Segurança.
    Mesmo com curso superior de contabilidade não pude concorrer, internamente, para oficial, por não ser da área de aviação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here