Esquadrão de Patrulha da Marinha dos EUA voa com tripulação 100% feminina em missão de ISR

As Militares designadas ao Esquadrão de Patrulha (VP) 4, posam para uma foto antes de uma missão de inteligência, vigilância e reconhecimento sobre o Mar Mediterrâneo Oriental. Todas as posições da tripulação na aeronave foram ocupadas por tripulantes mulheres, em homenagem ao mês da história das mulheres. Foto da Marinha dos EUA, pelo especialista em comunicação de massa Juan S. Sua.

Uma tripulação feminina do Esquadrão de Patrulha (VP-4) prestou homenagem ao legado das mulheres nas forças armadas, realizando uma missão de inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR), com uma tripulação exclusivamente feminina, no Mar Mediterrâneo Oriental no dia 20 de março de 2020.

“A tripulação de voo de hoje representa as muitas contribuições que as mulheres fizeram na Marinha”… “Minha avó estava no programa Navy WAVES durante a Segunda Guerra Mundial e tenho orgulho de representar as mulheres nas forças armadas;” Declarou Meghan Cooke, de segunda classe da Naval Aircrewman (Operadora embarcada).

Em 1942, o Congresso promulgou a Reserva Militar Feminina, mais conhecida como WAVES (Mulheres Aceitas para Serviço Voluntário de Emergência), para agilizar o esforço de guerra, substituindo homens que serviam em serviço de terra, liberando-os para serviço no mar.

Mais de 30% das WAVES trabalhavam na aviação naval como testadores de pára-quedas, controladores de tráfego aéreo e pilotos de treinamento, entre outras atividads que iberavam os homens para o combate na linha de frente.

Nos últimos 78 anos, a Marinha mudou significativamente sua política em relação às mulheres na aviação. Em 1973, a Marinha encerrou a restrição que impedia as mulheres de servir em treinamento e aviação não relacionada ao combate.

Em 1994, a barreira que impedia as mulheres de servir a bordo de navios de guerra e missões de combate aéreos também foi anulada.

Foto da Marinha dos EUA pelo especialista em comunicação de massa Juan S. Sua

“Sou grata por ter sido criado em um país onde não percebo se sou a única mulher na sala ou em um voo”… “É incrível liderar uma equipe feminina, sabendo, como país, até onde chegamos.”; Declarou a tenente Jennifer Hogan, oficial aviadora da Marinha e comandante da missão de operação.

A missão ISR levou a tripulação sobre o Mar Mediterrâneo Oriental. A operação permitiu à tripulação aumentar a conscientização situacional do domínio marítimo e colocar seu treinamento na missão ISR P-8A definida para uso em tempo real.

“É uma honra voar entre essas mulheres notáveis ​​e capazes que desafiam, apóiam e treinam umas às outras para alcançar novos patamares”, disse a tenente Jillian Lewis, uma piloto designada para o VP-4.

O VP-4 é destacado na base de Signonella, Itália, para apoiar a segurança regional e demonstrar compromisso com aliados e parceiros em toda a Europa e África.

Foto da Marinha dos EUA pelo especialista em comunicação de massa Juan S. Sua

“Planejar um voo desse tipo pode ter sido mais desafiador no passado, mas o VP-4 tem várias mulheres totalmente qualificadas para preencher cada uma das nove posições da tripulação”, disse o comandante. Wayne Lewis, comandante do VP-4. “Este voo foi planejado para honrar o passado e inspirar o futuro.”

Em dezembro de 2015, todas as funções de combate nas forças armadas foram abertas às mulheres, garantindo que elas possam ser recrutadas, treinar e reter o talento mais capaz do país entre as mulheres.

“Carregamos a tocha para as mulheres que vieram antes de nós”, disse Naval Aircrewman (Operator), Micha Deason. “As mulheres hoje continuam a ultrapassar fronteiras e alcançar a grandeza. Tenho a honra de participar da nova geração de mulheres nas forças armadas. ”

Essas mulheres são capazes de inspirar as pessoas em suas vidas, influenciando até suas decisões de servir.

“Como a caçula de cinco meninas, vi cada uma das minhas irmãs escolher o serviço militar”, disse a tenente-coronel Taryn Puro. “Sempre foi inspirador para mim como eles otimizavam as oportunidades que os militares têm para oferecer. No futuro, espero poder inspirar outras pessoas como minhas irmãs me inspiraram. ”

Foto da Marinha dos EUA pelo especialista em comunicação de massa Juan S. Sua

O Esquadrão VP-4 continua a voar em missões regulares ao longo de 6 ª Frota de apoio à segurança marítima.

  • Com informações da U.S.Navy via redação Orbis Defense Europe.

You may also like