Este destruidor de tanques voador tinha uma arma muito maior do que o A-10

Este destruidor de tanques voador tinha uma arma muito maior do que o A-10 Warthog

O A-10 é justificadamente comemorado por suas proezas de matar tanques e talvez seja  o avião caça tanques mais famoso da história ao lado do Stuka de Rudel e o P-39 Airacobra.

Mas apesar dos antecessores históricos o A-10 é o avião mais mortal em ataque  ao solo de toda a história, afinal de contas, destruiu 987 tanques e um sem numero de outros equipamentos em especial em terras iraquianas durante a Tempestade no Deserto, o seu GAU-8 teve muito uso, incluindo alguns helicópteros iraquianos que sentiram o BRRRRT de seu canhão rotativo! Mas anteriormente a Força Aérea uma vez planejou um caça-tanques com uma arma que fez o GAU-8 do A-10 parecer insignificante.

Este avião foi o Beechcraft XA-38 Grizzly foi planejado para ser um avião de apoio próximo para atacar tanques e bunkers na frente da infantaria. A Beechcraft , ironicamente, é mais conhecido por aviões civis como o King Air.

O XA-38 Grizzly era um avião semi-monocoque de dois motores e dois assentos, de metal, com asas cantilever, trens de pouso convencionais, amortecedores oleo-pneumáticos e freios hidráulicos. Ele foi equipado com dois motores Duplex Cyclone Wright R-3350-43, o mesmo motor que impulsionou o Boeing B-29 Superfortress. As hélices mediam 4.32m (170in) cada de diâmetro.

O avião usava rebites nivelados e junções  minimas de painéis. para dar ao avião uma aparência imaculada e brilhante.  O cubo do motor foi fabricado em aço inoxidável e liga de alumínio. Os refrigeradores de óleo foram colocados nas asas. Quatro tanques de combustível foram instalados nas asas com capacidade de 2.422 litros (640 galões americanos). Dois tanques de combustível auto-vedantes também foram colocados atrás do cockpit, que pode transportar 681 litros (185 galões americanos), se necessário. Havia bombas e conectores instalados nos tanques, o que impediria o fluxo de combustível se os tanques sofressem danos.

Quanto aos armamentos, o 75mm T15E1 do XA-38 foi a característica definidora. Poderia levar 20 projeteis alimentados por um sistema de alimentação Tipo T-13. Haveria um refletor Tipo N-6 para ajudar o piloto a mirar. O canhão dispararia a cada 1,2 segundo se o piloto apertasse o botão do gatilho. Duas metralhadoras Browning de 0,50 cal (12,7 mm) foram instaladas sob o canhão com 500 tiros cada. Toda a seção do nariz do XA-38 pode ser desmontada, onde a turma da mecânica podia acessar facilmente as armas para manutenção.

O Beechcraft XA-38 Grizzly era uma aeronave de ataque experimental, proveniente de uma exigência da USAAF para um bombardeiro de dois assentos. Dois protótipos foram construídos entre 1944 e 1945 e foram testados extensivamente nos EUA. O Grizzly mostrou desempenho promissor, mas acabou cancelado devido aos motores destinados a serem usados, receberam prioridade para o Boeing B-29 Superfortress e a inevitável vitória dos Aliados.

Sim, você leu certo. A Força Aérea do Exército na Segunda Guerra Mundial estava desenvolvendo um tanque de combate voador especializado que sua arma era duas vezes e meia maior que o GAU-8. É verdade que uma arma de 75mm foi usada em variantes do B-25, mas a arma do XA-38 era   um semi-automático de alta cadencia de tiros.

O avião tinha uma velocidade máxima de 376 milhas por hora, um alcance de 1.625 milhas e uma tripulação de dois. Com todo esse desempenho, foi muito promissor quando voou pela primeira vez em maio de 1944. Mas essa promessa nunca foi vista pelos infantes no chão.

O projeto XA-38 nunca passou dos dois protótipos, porque um projeto de aviação diferente ocupou todos os recursos que o Grizzly foi projetado para usar. Os motores Wright GR-3350-43 eram necessários para o Boeing B-29 Superfortress, que em 1944 era necessário para bombardear o Japão.

 

 

Em 1942, a Força Aérea do Exército dos Estados Unidos (USAAF) emitiu uma exigência para um bombardeiro de ataque de dois lugares. Beechcraft foi rápido em responder e propôs seu projeto para a USAAF. A USAAF estava muito interessada no projeto e ordenou que dois protótipos fossem construídos em dezembro do mesmo ano após a concessão do contrato à Beechcraft. Em antecipação aos dois protótipos, a USAAF atribuiu números de série a eles, sendo “43-14406” e “43-14407”.

A Beechcraft projetou especificamente o Modelo 28 para ser capaz de destruir depósitos de armas, navios, veículos blindados e bunkers, mantendo grande manobrabilidade e capaz de permanecer no ar depois de ser danificado. Tudo isso seria feito pela adição de um poderoso canhão automático T15E1 de 75mm.

 A tarefa de desenvolver o Grizzly foi dada a uma equipe liderada por Bill Cassidy com Jess Vint e Alex Odevseff encarregados de projetar os armamentos, Bill Irig encarregado das superfícies de controle, Gus Ericson encarregado do projeto das asas, Mervin Meyers em encarregado da hidráulica, Ralph Harmon encarregado da estrutura do trem de pouso e Noel Naidenoff encarregado do compartimento do motor. O Grizzly teve aparentemente inspiração no Beechcraft 18, mas isso não é verdade. O Grizzly tirou apena algumas inspirações do Modelo 18.

Beechcraft XA-38 durante testes de vibração no solo. Os testes foram estabelecidos para determinar as freqüências naturais excitadas durante a operação do motor. (Foto da Força Aérea dos EUA)

O primeiro Grizzly (43-14406) foi entregue à Força Aérea do Exército e voou em 7 de maio de 1944 pelo piloto de testes Vern L. Carstens. O primeiro voo de teste foi relativamente bem, exceto por um toque-e-toque não planejado durante o pouso. Isso se deveu à inexperiência de Carsten em aterrissar um avião tão grande. 

O primeiro protótipo não tinha armamentos instalados, mas tinha uma maquete de madeira do canhão T15E1 de 75mm. Nos próximos voos de teste, o Grizzly provou ser muito aerodinamicamente estável e causou uma boa impressão com os designers. Um teste de voo memorável inclui uma comparação de desempenho entre o Grizzly e um recém-fabricado North American P-51B. O Grizzly e o P-51B foram perseguidos, e o P-51B foi incapaz de acompanhar o Grizzly. 

Depois, em 7 de julho de 1945, o primeiro Grizzly foi transferido para o Wright Field para ser usado pela USAAF. Em seguida, participou de 38 voos de teste entre 13 de outubro e 24 de outubro de 1944, operados pelo capitão Jack W. Williams. Williams observou afetuosamente que o Grizzly era uma grande aeronave e “muito manobrável” para uma aeronave de seu tamanho. Também é interessante notar que as torres no primeiro Grizzly eram falsas.

 

O segundo Grizzly (43-14407) teve seu vôo inaugural em 22 de setembro de 1945, mais uma vez pilotado por Carstens. O segundo protótipo foi planejado para testes de armamento, então ele tinha todas as armas ajustadas. O canhão protótipo de 75mm T15E1 já foi testado com sucesso no ano anterior, em 1º de julho. O segundo Grizzly voou um total de 38 horas depois em testes em Eglin Field, na Flórida.

 

O Grizzly tinha duas torres, uma localizada no topo da fuselagem e outra no fundo. As torres foram fabricadas pela General Electric e tiveram dois M2 Brownings, cada um com 500 disparos. Essas duas torres eram controladas remotamente por um único artilheiro sentado na fuselagem traseira.

 Ele apontaria as armas com um periscópio para controlar as torres. Curiosamente, as torres também podem ser fixadas para disparar para a frente para acompanhar o ataque ao alvo do canhão T15E1. 

O XA-38 foi projetado para transportar uma ampla gama de coisas. Poderia ter carregado bombas, napalm, torpedos, tanques de combustível, tanques de fumaça e cargas de profundidade.

Tão bem sucedido como protótipo, o Grizzly nunca alcançaria o status de produção em massa por dois motivos. A primeira razão foi que os motores R-3350 estavam em falta, já que o Boeing B-29 Superfortress tinha prioridade máxima nos motores. Em segundo lugar, a situação de guerra já estava em favor da América, anulando assim a necessidade de tal aeronave. Como resultado, ambos os Grizzlies foram aposentados do serviço ativo. Um foi descartado enquanto o outro foi transferido para o Campo de Aviação Davis-Monthan, no Arizona, encontrando um destino desconhecido.

Assim um protótipo foi descartado, enquanto o destino do outro permanece desconhecido, mas ambos entraram para  historia  como um precursores da doutrina de aviões com grandes canhões em apoio ao solo.

 

Beechcraft XA-38 Grizzly

Envergadura 64 ft 4 in / 20,52 m
comprimento 51 ft 9 in / 15.77 m
Altura 15 pés 6 pol / 4,72 m
Área da asa 626 ft² / 58,15 m²
Motor Ciclone Duplex Wright R-3350-43 2x (2.300 hp)
Capacidade de combustível 640 galões americanos / 2.422 litrosTanques Adicionais: 185 US Gallons / 681 L
Peso Máximo de Decolagem 35.265 lbs / 15,996 kg
Peso vazio 22.480 libras / 10.197 kg
Carregamento de Asa 56,3 lb / ft² / 275,1 kg / m²
Relação peso potência 7,67 lb / hp / 3,48 kg / hp
Taxa de subida 2.600 pés / min / 792 m / min
Velocidade máxima 330 mph / 531 km / h no nível do mar348 mph / 560 km / h – a 5.000 pés / 1.525 m

370 mph / 595 km / h – a 17.000 pés / 5.180 m

Velocidade de cruzeiro (75% de aceleração)289 mph / 465 km / h – no nível do mar

350 mph / 563 km / h – a 16.000 pés / 4.875 m

Alcance 1,625 mi / 2.615 km – a 225 mph / 362 km / h745 mi / 1.200 km – a 289 mph / 465 km / h
Teto de serviço 29.000 pés / 8.840 m
Equipe técnica 1x piloto1x Artilheiro / Observador
Armamentos de disparo para a frente 1x 75mm T15E1 (20 disparos)2x 12,7 milímetros M2 Browning (500 disparos)
Armamentos Defensivos 2x 12,7 mm M2 Browning (torre superior) (500 disparos)2x 12.7mm M2 Browning (Torre da Barriga) (500 disparos)
Carga Opções planejadas:

  • Bombas
  • Tanques de combustível
  • Napalm
  • Torpedos
  • Cargas de Profundidade
  • Tanques De Fumaça

 JG

 



Receba nossas notícias em tempo real pelos aplicativos de mensagem abaixo:

 

Caso deseje conversar com outros usuários escolha um dos aplicativos abaixo:



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here