EUA e Emirados Árabes efetuaram exercício em grande escala Iron Union 14

blank
Ilustração via redação OD com foto do Sgt. Daryl Bradford/U.S. Army.

Exercício aéroterrestre faz parte de treinamentos que visam manter preparo interoperacional com aliados regionais e dissuasão contra ameaças iranianas. O exercício ainda segue diretrizes do pacote de apoio aos aliados do Oriente Médio contra o Irãn, determinados ainda pela administração do ex- presidende Trump.

A Task Force Spartan do U.S. Army e as Forças Terrestres dos Emirados Árabes Unidos se reuniram de 24 de janeiro à 16 de fevereiro de 2021, no Centro de Treinamento Al Hamra nos Emirados Árabes Unidos para o exercício Iron Union 14, o primeiro exercício de treinamento bilateral entre as forças desde o início da pandemia COVID-19.

Esse exercício recorrente, projetado para fortalecer as relações entre militares, permitiu que as forças treinassem como poderiam enfrentar os desafios de segurança regional. Porém, devido ao COVID-19, o evento deste ano trouxe seus próprios desafios.

Os Emirados Árabes Unidos são um parceiro significativo para os EUA na região, e exercícios como o Iron Union demonstram o compromisso de todas as nações participantes em promover a estabilidade regional.

O treinamento e o planejamento são uma oportunidade para ambos os países desenvolverem proficiência tática em áreas de missão crítica, obter uma compreensão das forças de cada um e apoiar a estabilidade regional de longo prazo.

Este exercício é importante por muitos motivos: parceria, segurança e interoperabilidade são apenas alguns exemplos. A importância subjacente a esses tipos de exercícios é transmitir uma mensagem unificada de que os relacionamentos são importantes e o treinamento junto com os parceiros envia uma mensagem de prontidão e letalidade em um esforço para deter adversários em potencial.

Quando a Iron Union 14 chegou ao fim, o major-general Patrick Hamilton, comandante geral da Força-Tarefa Spartan, reconheceu o valor de continuar treinando com segurança com nossos parceiros.

Mesmo após a COVID-19, o exercício continuará não apenas a moldar a segurança na região, mas também a aumentar os laços de parcerias entre militares.

“Como algumas restrições do COVID foram atenuadas e podemos conduzir mais treinamento face a face, estamos vendo que é como se não tivéssemos perdido o ritmo”… “Estou grato aos nossos anfitriões dos Emirados esta semana e extremamente impressionado com seu profissionalismo e dedicação como parceiro na região. Estou ansioso para muitas outras oportunidades no futuro. ”; disse o Major-General Patrick Hamilton.

  • Com informações do U.S. Army/Task Force Spartan e texto adaptado do Staff Sgt. Daryl Bradford, via redação Orbis Defense Europe.

Comments are closed.