EUA prendem 600 membros do maior cartel mexicano da atualidade

As ações em muitas localidades dos EUA contaram com a participação de diversas unidades policiais SWAT's em apoio ao DEA. Imagem ilustrativa via Associated Press. Photo de Richard Vogel.
646views

Mais de 600 membros do cartel mexicano Cártel de Jalisco Nueva Generación (CJNG) foram presos durante uma operação interinstitucional pelo Departamento de Justiça (DOJ) e pela Agência de Repressão às Drogas (DEA), que começou dia 10 de março e terminou hoje dia 24, tornando-se uma das maiores operações de prisões coletivas da história dos EUA.

O CJNG se tornou famoso por meio de vídeos on-line em varias redes sociais, exibindo armamento pesado de uso exclusivo das Forças Armadas e videos onde efetuam ações bem coordenadas, com seus elementos usando fardamento padronizado ao estilo “forças especiais”.

O grupo também é conhecido por empregar grande quantidade de armas, munições e equipamentos diversos de origem chinesa, semelhantes aos usados pelos jihadistas do ISIS, assim como pelo alto grau de treinamento e emprego de técnicas militares em suas ações contra as forças de ordem e cartéis rivais.

As agências anunciaram os resultados do plano, chamado Project Python, em uma coletiva de imprensa, dizendo que a operação liderada pela DEA passou os últimos seis meses monitorando as atividades dos principais elementos do grupo nos EUA.

No total, aconteceram 600 prisões no Cártel de Jalisco Nueva Generación (CJNG) e 350 acusações, além de uma apreensão significativa de armas, dinheiro e drogas. Segundo um relatório , as agências apreenderam 15.000 quilos de metanfetamina e quase US $ 20 milhões.

“O Projeto Python marca a ação mais abrangente até o momento na campanha do Departamento de Justiça para interromper, desmontar e finalmente destruir a CJNG”, afirmou o procurador-geral assistente Brian A. Benczkowski em comunicado.

“A CJNG é uma das organizações criminosas transnacionais de mais rápido crescimento no México e uma das produtoras de metanfetamina mais prolíficas do mundo”, disseram os líderes da DEA no comunicado.

Benczkowski citou uma ordem executiva que o presidente Donald Trump assinada em 9 de fevereiro de 2020, que dirigia a aplicação da lei federal “para frustrar organizações criminosas transnacionais e organizações subsidiárias, incluindo quadrilhas criminosas, cartéis, organizações de extorsão e outros grupos envolvidos em atividades ilícitas que apresentam uma ameaça à segurança pública e à segurança nacional ”.

“Quando o presidente Trump assinou uma ordem executiva priorizando o desmantelamento de organizações criminosas transnacionais, o Departamento de Justiça respondeu à chamada e mirou diretamente a CJNG. Consideramos o CJNG uma das ameaças transnacionais de crime organizado mais prioritárias que enfrentamos ”, afirmou. “E com o Project Python, estamos entregando resultados diante dessa ameaça para o povo americano”.

O Projeto Python é a maior ação das autoridades americanas contra a CJNG, disse Dhillon em comunicado. A operação foi direcionada a integrantes de nível médio a alto da CJNG nos Estados Unidos.

Os investigadores usarão os dados coletados no Projeto Python para “identificar e mapear a administração e os caminhos logísticos do cartel”, disse Benczkowski .

“Esta operação é uma das maiores ações concentradas contra uma única organização criminosa em muitos anos”, disse Dhillon. “Ao remover membros de nível médio e alto, inibimos a capacidade da CJNG de regenerar e continuar a ameaçar nossas comunidades e bairros com suas drogas mortais.”

O cartel atua em grandes cidades americanas como Los Angeles, Nova York, Chicago, Houston e Atlanta, disseram as agências. O DOJ e o DEA também anunciaram acusações contra Nemesio Ruben Oseguera Cervantes, também conhecido como “El Mencho”, o líder do CJNG, por supostamente continuar empreendendo criminosos.

O Departamento de Justiça adotou uma postura agressiva em relação aos cartéis mexicanos e, em dezembro, o procurador-geral William P. Barr visitou o México e disse às autoridades que estava preocupado com a resposta do governo à crescente violência naquele país. Desde essa viagem, cerca de 40 pessoas supostamente envolvidas em crime organizado foram enviadas aos Estados Unidos para serem processadas.

Sobre o Cartel de Jalisco Nova Geração – CJNG

O Cartel de Nova Geração Jalisco ( espanhol : Cártel de Jalisco Nova Geração , CJNG , Los Mata Zetas e Los Torcidos ) é um grupo criminoso mexicano com sede em Jalisco e chefiado por Nemesio Oseguera Cervantes ( “El Mencho”), um dos traficantes mais procurados do México.

O CJNG também opera nos estados de Nayarit e Colima . Embora este cartel é mais conhecido por suas lutas contra os Zetas, também tem  combatido o La Resistencia para o controle de Jalisco e suas áreas vizinhas.

O Cartel de Nova Geração Jalisco expandiu sua rede de operações de costa a costa em apenas seis meses, tornando-se um dos grupos criminosos com maior capacidade operacional no México desde 2012.

O CJNG se tornou famoso por meio de vídeos on-line em varias redes sociais, exibindo armamento pesado de uso exclusivo das Forças Armadas e videos onde efetuam ações bem coordenadas, com seus elementos usando fardamento padronizado ao estilo “forças especiais” em ações muito bem coordenadas e eficazes.

O Jalisco New Generation Cartel tentou obter a aprovação da sociedade e o consentimento tácito do governo mexicano para confrontar Los Zetas se passando por um grupo “justo” e “nacionalista”. Porém o CJNG tem sido responsável por inúmeros ataques contra civis e as forças de segurança do México.

Em 2018, o CJNG tornou-se o segundo cartel mais poderoso do México. Em 2018, o co-fundador da CJNG, Érick Valencia Salazar, e o ex-líder de alto escalão da CJNG Carlos Enrique Sánchez deixaram o cartel e co-fundaram um cartel rival chamado Nueva Plaza Cartel .

  • Com informações do The Washington Post, America Military News, Reuters e AFP via redação Orbis Defense Europe.

You may also like