EUA vão enviar mais 1.000 militares à Polônia

O governo dos Estados Unidos enviará mais 1.000 militares à Polônia após a conclusão de um novo acordo de cooperação na área de defesa com este país. Segundo fontes da Casa Branca, a presença dos militares ajudará a conter a influência da Rússia na Europa.

Em comunicado, o Pentágono informou que, junto com os militares, serão enviados recursos de inteligência, vigilância e reconhecimento, assim como a estrutura necessária para dar apoio a equipes de infantaria e aviação.

“O EDCA [Acordo Melhorado de Cooperação em Defesa] aumentará nossa capacidade de dissuadir a Rússia, fortalecerá a Otan e tranquilizará nossos aliados. Nossa presença na Polônia, no flanco oriental da Otan, melhorará nossa flexibilidade estratégica e operacional”, disse o secretário americano de Defesa, Mark Esper, em nota.

O presidente polonês, Andrzej Duda, passou os últimos anos costurando uma aliança para que os EUA aumentassem sua presença militar no país. Em certo momento, chegou a sugerir que a base onde os soldados americanos ficariam fosse batizada como “Fort Trump”.

Às vésperas das recentes eleições presidenciais polonesas, ele foi recebido pelo mandatário americano na Casa Branca. O acordo com a Polônia foi anunciado após a Casa Branca ter comunicado a retirada de 12 mil militares da Alemanha.

Metade deles será distribuída em outras bases militares na Europa e o restante voltará aos EUA. A medida foi bastante criticada pela Alemanha, em um novo capítulo de tensões entre Trump e a premiê do país, Angela Merkel.

Ao comentar a decisão, o presidente americano voltou a reclamar que os alemães não investem 2% de seu PIB em defesa, uma meta acertada entre os países-membros da Otan.

  • Com informações do Jornal Valor Econômico


Receba nossas notícias em tempo real pelos aplicativos de mensagem abaixo:

 

Caso deseje conversar com outros usuários escolha um dos aplicativos abaixo:



Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail