Exercício Frisian Flag 2019

Exercício Frisian Flag, um quase “Red Flag” em céus europeus, porém em escala muito reduzida devido ao congestionado espaço aéreo da Holanda, que já é uma nação de superfície diminuta mas que conta com uma eficiente força aérea operando em conjunto com as demais da Aliança NATO/OTAN.
Iniciado no dia 01 e finalizado nesse dia 12 de abril na Base Aérea de  Leeuwarden na Holanda (base do 322 TACTES Squadron da RNAF), esta que hospedou 50 aeronaves de caça e apoio oriundas de diversas Forças Aéreas do âmbito Europeu, que realizaram diversos exercícios de missões que envolvem as novas táticas para emprego dos cenários da atual “guerra fria” no norte da Europa e também de situações de missões exteriores. Aproximadamente mil militares (para mais) de todas as Forças Aéreas participantes foram diretamente reunidos na operação.

Simultâneo ao Frisian Flag foi organizado o exercício EARTEuropean Air Refueling Training, que empregou aeronaves de reabastecimento aéreo das Forças Aéreas de todos os países participantes do Frisian Flag e a estes forneceu o devido reabastecimento em vôo para as operações previstas, porém estas aeronaves tanques permaneceram baseadas na Eindhoven Air Base, também na Holanda. 

Aeronaves participantes do EART 2019

KDC-10 do RNAF 334 Squadron
– A-310 MRTT do SawMod da Luftwaffe
KC-135 da 100 ARW da USAF
KC-135 FR do 02 091 Squadron Bretag da Armée de l’Air
– A-330 MRTT Brize Norton Squadron da RAF

Organização do controle de tráfego aéreo

Todas as operações de navegação aérea das aeronaves envolvidas no exercício foram organizadas por por um “CRC“, ou, Control and Reporting Centre, que foi coordenado por militares holandeses e alemães em bases localizadas na Alemanha e Holanda, mas que também foi acompanhado por protocolo de visualização por alguns controladores civis no Eurocontrol em Maastricht dentro do programa de cooperação SESAR, programa esse que trabalha em diversos espectros de protocolos para evitar conflitos dos vôos militares com o intenso tráfego aéreo europeu.
Também operou no cenário de controle aéreo avançado uma aeronave  AWACS (Airborne Warning and Control System) da USAF.

Ilustração da carta do espaço aéreo do noroeste da Holanda, sobre a parte norte do Canal da Mancha jà quase em parte do Sul do Mar do Norte, o qual foi utilizado para a grande parte dos exercìcios do Frisian Flag 2019. Imagem via RNAF NATO/OTAN.

Forças Aéreas e aeronaves participantes

Além dos F-16 da Real Força Aérea Holandesa, participaram as seguintes aeronaves:

França; 04 Acft M-2000D Dassault Mirage, Base Aerienne Nacy Ochey
Alemanha; 10 Acft EF-2000 Eurofighter + 1 Airbus A310 para REVO
Holanda; 16 Acft F-16 AM & BM Fighting Falcon do 312 & 322 Squadron
Polonia; 08 Acft F-16 C/D Fighting Falcon
Suiça; 08 Acft F-18 C/D Hornet
Reino Unido; 01 Acft Cobham DA-20 (Dassault Falcon 20DC)
Estados Unidos; 10 Acft F-16 C/D Fighting Falcon, Minesotta Air National Guard.

Aproximadamente outras 25 aeronaves diversas estiveram presentes em operações de apoio logístico e operações de controle aéreo avançado, guerra eletrônica e outras atividades não especificadas, entre elas; jatos Dassault Falcom 20 e Falcon 900, Beech 1900D, Beech 350C, CASA C-295 e Boeing C-17 Globemaster, entre outros menores.

 Galeria de imagens:

Com informações e fotografias* via NATO/OTAN, Royal Netherlands Air Force e EATC Europe.

*Exceto quando citada na marcação, todas as fotos são de autores não declarados pela NATO/OTAN, que gentilmente forneceu as imagens utilizadas na matéria.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here