Exercício Steel Knight 20; U.S. Mariners em mega desembarque na Califórnia

U.S. Marine Corps photos by Cpl. Ana Madrigal and Lance Cpl. Angela Wilcox

O “U.S. Marines with 1st Battalion, 1st Marine Regiment , 1st Marine Division” conduziu um desembarque e ataques anfíbios, simulando a tomada de uma cidade, em ambiênte de combate durante o Steel Knight 20 (SK20) em Marine Corps Base Camp Pendleton, Califórnia.

O Steel Knigth 20 é um exercício de treinamento anual, executado por aproximadamente 13.000 militares, entre fuzileiros navais e marinheiros, projetados para melhorar e avaliar a capacidade da 1ª Divisão de Mariners de combater contra ameaças de grande porte.

Fuzileiros navais da 1ª Divisão de Fuzileiros Navais em diversos veículos anfíbios de assalto LVTP-7 (AAV-7A1) e Landing Craft Air Cushion (LCAC) desembarcaram à partir de dois navios da Marinha, e, invadiram White Beach em Camp Pendleton. No alto, os Ospreys MV-22 forneceram suporte aéreo.

Em terra, os fuzileiros navais desembarcaram dos 24 veículos blindados LVTP-7 (AAV-7A1) e avançaram na praia, atravessando valas e barreiras, como aquelas que  encontrariam em uma invasão  real, preparadas pelo inimigo para retardar seu progresso no terreno.

De lá, eles se mudaram para o norte, ao longo da enseada isolada, até a posição “Praia Vermelha” aberta e protegeram uma vila urbana simulada na linha do sul. Com a vila e a cabeça de praia livres de inimigos, ondas de marinheiros em hovercrafts chegaram em apoio.

“O 1º Regimento Marítimo tem como tarefa conquistar a praia para que as forças de resgate possam chegar atrás de nós”, disse o tenente-coronel Robert May, oficial de operações do 1º Regimento Marítimo. “Esta é uma oportunidade para continuar a expandir e explorar nosso relacionamento com a Marinha. Somos capazes de fazer coisas que não fazemos há muito tempo. ”

O cenário na sexta-feira, 6 de dezembro, foi a abertura do Exercise Steel Knight 2020, um exercício de treinamento de 1ª Divisão Marítima de anfíbios, com 15 dias de exercicios de tiro real e operações aéreas, que oferece uma oportunidade para os fuzileiros navais treinarem em conjunto com a Marinha em larga escala.

“Com aproximadamente 13.000 militares engajados, este será o maior e mais complexo exercício liderado pela 1ª Divisão da Marinha na história dos exercicios “Steel Knight”, disse o major-general Robert Castellvi, comandante geral da 1ª Divisão de Mariners. O Steel Knight aprimora a capacidade da divisão de lutar e vencer contra adversários pares ou quase pares. ”

O Steel Knight 2020 está alinhado com a tendência do Corpo de Fuzileiros Navais em direção a exercícios maiores e a mover grandes formações em cenários táticos, à medida que passa de implantações no Iraque e Afeganistão para ameaças potenciais como a China e a Rússia.

Em julho, o comandante do Corpo de Fuzileiros Navais David Berger emitiu uma nova guia de planejamento que descreve uma visão para o futuro. Nele, ele disse que o Corpo de Fuzileiros Navais não estava pronto para um confronto com a China e a Rússia e pediu aos comandantes que repensassem como treinam, operam e lutam. Ele também pressionou por mais integração com a Marinha.

“O Corpo de Fuzileiros Navais será treinado e equipado como força expedicionária naval e preparado para operar em espaços marítimos ativamente contestados em apoio às operações da frota”, escreveu Berger no guia de 26 páginas. “Na prevenção e resposta a crises, a Força Marinha da Frota – atuando como uma extensão da Frota (Marinha) – será a primeira em cena, a primeira a ajudar, a primeira a conter uma crise, se necessário. então.”

Durante o restante do Exercício Steel Knight, fuzileiros navais e marinheiros treinam em Camp Pendleton, no Centro de Combate Terrestre da Marine Corps Air em Twentynine Palms e na Estação Aérea Marine Corps Yuma, no Arizona.

Além do ataque anfíbio simulado, aconteceu uma operação de invasão e emprego de fogo real ; uma travessia de um batalhão sobre o rio Colorado; operações de evacuação de vítimas do ponto de atrito até a unidade de tratamento médico; e um ataque aéreo massivo usando todo o poder de fogo do Corpo de Fuzileiros Navais, de pequenas munições a carros de combate de todos os tipos.

O exercício segue um treinamento em larga escala desde novembro, no qual a 2ª Divisão Marítima – com sede em Camp Lejeune, Carolina do Norte – treinou no Twentynine Palms. Esse exercício consistiu em 10.000 fuzileiros navais, marinheiros e fuzileiros navais reais britânicos e incluiu vigilância aérea não tripulada e guerra eletrônica e cibernética projetada para enfrentar novas ameaças.

  • Com informações do U.S. Marine Corps e fotos do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA pela capit. Ana Madrigal e Lance pela capitã Angela Wilcox)

You may also like